domingo, 9 de agosto de 2009

Papo cabeça

Dia dos pais. Acordo em Angra depois de 11 horas de viagens de ônibus e baldeações com o coração apertado do medo de ficar mais um dia sem ver a minha pequena que me atendia o telefone a semana inteira com a voz chorosa.
Sol. Laptop na varanda. Vovô e vovó felizes com seus filhos e netas.
Estou chegando de uma semana da antiga vida. Atiçou um pouco a vontade de corrigir o que não está bom, identificar os erros e me lançar na luta para mudar tudo... Dava pra escrever 3 textos, um sobre mulheres, outro sobre petróleo e outro sobre Constituinte. Velhas bandeiras, novos ângulos e argumentos - melhores, acredito. Mas a vida que bate na porta, urge. No reencontro com Eneida na sexta, ambientalizado com a música da favorita da Fê, que descobri ser Maira e não Maria, a certeza de ter feito a opção certa. Eneida discorre sobre a necessidade de dar atenção às pessoas e se cercar dos amigos e da família. Eu concordo e digo que só agora estou percebendo o quanto andei só e sentia falta sem saber. Entre frustrações sobre as coisas que se deixa ao escolher, a certeza de ter feito a opção de não passar em reunião mais uma data de família.
Ao chegar aqui, muitas coisas para acertar. Para a caçula, musica ou dança ou ambos...
Pelo menos são 10:30 e ela já acordou. Mais uma semana de férias para ela. Hora de acertar um pouco as coisas para o semestre que começa e construir um futuro mais lindo, sorridente e divertido...

Um comentário:

disse...

saudade da minha famíliaaaa