quinta-feira, 15 de outubro de 2009

e mais outra página

Que tal nos dois numa banheira de espuma...

O trabalho de um verdadeiro cientista é encontrar as leis básicas das quais decorrem os fenômenos. O atual impasse da ciência se localiza justamente no fato de que os que se julgam cientistas ignoram o seu ofício, confundindo a descrição de fenômenos particulares com o ato científico. Impossibilitado de encontrar leis que organizem e dê coerência aos fenômenos, o cientista moderno atribui os acontecimentos a existência de uma força superior ahistórica e inelutável. Uns chamam esta força de Deus, outros, de Mercado – dependendo do ramo da ciência. Nós não queremos, neste livro, fazer guerra a estes senhores, mas fazemos a opção de respeitar a tradição que remonta de Aristóteles e continuar na busca das leis que regem o comportamento humano. Assim, estamos apresentando para vc o enunciado de um teorema que lança luzes sobre a principal questão que os homens levantam quando o assunto é mulher. Como todo teorema, não demonstraremos como chegamos a seu enunciado. Apenas recomendamos aos curiosos que comprovem sua validade de forma empírica. Aí vai: “Toda grande revelação é feita num banheiro”.
Utilizando as ferramentas lógicas a seu dispor, você pode deduzir que se o seu namorado a dispensou num restaurante ou no sofá da sala, você não tem porque se preocupar, é apenas uma crise passageira. Por isso, se vc quiser manter o relacionamento, evite com todas as suas forças ir chorar escondida no banheiro. Este ato pode transformar o que seria um pequeno incidente num fato inscontestável.
Então relaxe, porque se toda grande revelação é feita num banheiro, tudo o que você descobrir em outros lugares não será uma grande revelação. Esta constatação que parece ser simples, têm uma aplicação prática das mais significantes, pois com o tempo de uso deste Teorema a mulher vai conseguir aprender a priorizar o que de fato é importante, servindo como um guia para organizar a complicada agenda feminina.
A força imanada pelos banheiros é tão grande que as mulheres (mais sensíveis à natureza e suas leis) quando estão inseguras, evitam enfrentá-lo sozinha em barzinhos ou boates. Os homens, que nunca entenderam este estranho comportamento feminino, podem agora dormir aliviados. Como tudo na vida, este comportamento também tem uma explicação lógica. E ao contrário do que muitos chegaram a pensar, a mulher não é um ser irracional, impossível de ser compreendido.
Nós atestamos a veracidade de nosso Teorema e vamos registrar a patente. E se você ainda não está convencida, volte ao início do livro e tente descobrir onde foi que a idéia de escrevê-lo surgiu.

Nenhum comentário: