terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Causo da Bisa

Primeira década do século XX. A moça morava na estância e tinha recebido pouco menos que as primeiras letras de instrução. Na noite anterior, uns correligionários de seu pai tinham andado por aqueles pastos e naquela conversa animada, ela tinha entreouvido pela primeira vez algumas palavras que a encantaram, POLISSÍLABAS, claro. As palavras eram: Certamente, Impostora e Ligeireza. Nunca as tinha ouvido antes, mas estava doida para usá-las. Melhor oportunidade seria na noite seguinte, na qual iria receber a visita do filho do dono da estância vizinha e seu pretê.
Na presença do moço, a moça fica nervosa a se balançar na cadeira , respeitosamente distante da do rapaz, e a espera de uma oportunidade para impressioná-lo com sua cultura.
A gata angora de sua mãe, que segurava a vela do casal, subiu na mesa e ela dispara: -Salta daí, certamente! Oh gata bem impostora!
O rapaz segue a conversa meio espantado. E a moça, cada vez mais nervosa.
Tão nervosa que dá um impulso ainda mais forte e a cadeira de balanço rodopia jogando suas pernas para o alto (e o vestido descobre o que deveria estar coberto). A moça, após a pirueta, se levanta num pulo e pergunta prontamente: - Viu a minha ligeireza?
O rapaz, desconcertado e sorridente, responde: - Vi sim, TUDINHO, só não sabia que se chamava ligeireza!

2 comentários:

hellomotta disse...

HAHAHAHHAHHAAH
Excelente! Ponto pra você!

Mulher Asterísco disse...

São duas histórias, segundo a minha vó, verídicas. Acabei juntando as duas. É um belo caso de amor às palavras...