sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Não mentir não é dizer a verdade

Em meu post anterior sobre o filme Lula, o filho do Brasil, já falei sobre como contar uma meia verdade pode se tornar uma grande farsa. Escrevo sobre isto de novo apesar de meu horóscopo ter me advertido a não entrar em polêmicas hoje.
Mas este assunto está rondando tudo que vejo, uma vez que eu mesma estou numa grande batalha para tirar a venda de meus olhos. Então, insisto: Dar destaque a questões acessórias ao invés das principais é uma forma de deturpar a verdade. E isto tem consequências nefastas.

É mais ou menos comum entender que qualquer história é contada pelo ponto de vista dos que a contam. Na História da Humanidade, o ponto de vista dominante é o dos vencedores. Mas há casos e casos. E a linha que separa uma diferença de interpretação de uma deliberada ocultação, apesar de ser meio tênue, existe. Porque um narrador honesto não esconde o ponto de vista que adota e por isso, apesar de tentar convencer, deixa a decisão para quem lê.
Casos extremos de abuso são conhecidos. Na década de 30, na URSS, por ordem de Stalin, fotos foram "photoshopadas" com a tecnologia da época, filmes foram refeitos e livros reescritos para eleiminar Trotski da história da Revolução Russa. Na idade média, a igreja católica destruiu e proibiu livros. São, como disse, extremos e não são sobre extremos este post, e, sim, sobre a fronteira.

Fiquei triste ontem. Vocês não devem saber que o Nasi é o meu cantor favorito. Mas é. E isso porque meu grupo favorito é o Ira. Descobri faz pouco tempo que, mesmo que eu ame as letras e músicas, sua alma estão na interpretação de Nasi. Então, o Ira me marcou. Foi o amor que sobreviveu às paixões adolescentes que tive por Legião Urbana, Paralamas, Plebe Rude e outras bandas da década de 80.
Suas músicas foram minha companhia em momentos tristes e felizes. E cada vez que eu escuto alguma canção do Ira que eu não tinha dado muita atenção antes, ela se transforma na minha nova música favorita. Agora, a atual favorita é Logo de Cara.
É claro que flerto com outras descobertas, como foi Wander Wildner, que, por sinal é o autor de "Vou me entorpecer bebendo vinho" que foi gravada pelo Ira. Mas flerto sem culpa, pois o bom de gostar de música é que é um amor generoso, quanto mais se têm, mais cabe.
Não é dificil imaginar que fiquei triste com a separação do grupo e com a publicidade dos problemas de ralcionamento, violência verbal e traições que envolveram este fim. Não li muito sobre o assunto, nem tomei partido, porque tomei a decisão de manter o Ira para mim e de dar o meu prêmio de melhor cantor do Brasil para o Nasi. Simples. Dentro de mim, não houve briga, não houve fim.

Mas a curiosidade é um bicho traiçoeiro e o google uma tentação. Achei o site oficial do Nasi e comecei a fuxicar. Cheguei na Biografia. Que decepção! Dos 8 paragrafos, apenas dois sobre o Ira! Duvido que haja alguma mentira na biografia publicada, mas ela não é verdadeira. O Ira é muito mais que dois parágrafos pequenos na carreira no Nasi. E o pior, é que ao reduzir o papel e a importância do Ira na carreira de Nasi, o texto publicado acabou tendo o efeito contrário, diminuiu o papel da Nasi na importância do Ira no cenário musical. A Biografia publicada no site de Nasi, não faz juz a Nasi.
Existe uma combinação entre letra, música e interpretação. Quando este trio se equilibra com alma, acontecem aquelas sensações esquisitas que temos quando uma música se torna algo mais para nós. Então, para mim, não há como separar as músicas do Scandurra da voz do Nasi. Para mim, Nasi não compete com Edgar, encaixa.
E já estou com vontade de ouvir Ira de novo: "Logo de Cara"
;-)

7 comentários:

hellomotta disse...

O Ira não acabou. A sua própria verdade prevalece sempre sobre a verdade do mundo.

Mulher Asterísco disse...

hauahauahaua... Canalha!!! O post foi todo para dizer o contrário disso hauahauhauahaua

hellomotta disse...

prazer, meu nome é Do Contra.

Mulher Asterísco disse...

TEU MAL É FOME. VAMOS PARA O ALMOÇO ESPECIAL?

hellomotta disse...

To te esperando que nem um dois de paus.
dá pra ser?
Se demorar muito, vou ter que comer pouco, po!
Humpf!

Mulher Asterísco disse...

A-DO-REI MEU CORNETTO DE CHOCOLATE....LOVELICIUS=P

hellomotta disse...

espero que você tenha dores de barriga.
3.
hoje, amanha e depois.
segunda não. pra você poder vir trabalhar!