sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

*

O tempo pegou uma curva atrás daquele monte e resolveu se esquecer por ali. Ficou assim parado deitado na grama verde vendo as galinhas ciscando num jardim de cogumelos. O tempo tirou uma folga e tomou um banho de cachoeira que durou dezembro inteiro só porque queria ver 2010 chegar bem limpinho junto com a Sarinha, engatinhando devagarzinho. O tempo tava sem pressa. Num fim de tarde ele chegou a se atrasar 20 anos para o jantar só pra ver os amigos. O tempo deitou no chão para ver estrelas e tentou decifrar seu alfabeto. O tempo dormiu no sofa, tomou café com broa de milho. O tempo papeou, leu, escreveu. O tempo deu tempo pra tudo.A tempestade que colocou o tempo de volta na sua estrada tinha a cor de todos os nossos olhos castanhos, mas não deixou de segredar que, em desvãos como este, ele estaria guardado para nunca mais ser perdido.