terça-feira, 23 de março de 2010

Everybody hates Chris

Aqui tudo acaba em post. Fato novo, posto. Angústia, posto. Animação, posto. Rotininha, posto. Então, o meu dia de ontem também merece um post.
Cheguei no trabalho antes das 7. Porque acordei às 4:20 e descobri que a caçula ainda estava acordada. Pintando unhas. Fiquei tão irritada que não consegui dormir mais e vim trabalhar. Mas é bom chegar cedo aqui. Na hora do almoço, ioga e caminhada. No fim do dia: 3 compromissos e um mega engarrafamento. Primeiro dia que usei meu selinho verde para para estacionar no Centro: fiquei nervosa e, com tanta emoção, acabei errando o caminho. Abri mão da terapia e fui no Ato Público pelo Pré-Sal. Cheguei atrasada e de saída. Quem precisava me ver, viu. Não resolvi o que precisava, fica pra outro dia, com mais calma. Direto para um clube noturno com happy-hour no Centro mesmo. Feliz com a espectativa de dançar. Desço as escadas, confirmo que a aniversariante está la, abro a porta e " Entra Na Minha Casa - Entra Na Minha Vida - Mexe Com Minha Estrutura - Sara Todas As Feridas - Me Ensina A Ter Santidade - Quero Amar Somente A Ti..." Eu mereço! Não. Não se enganem, não era um culto. Era um pagode mesmo. Respiro fundo e procuro o pessoal. Acho. Todo mundo feliz dançando aqueles pagodinhos. Nesta hora eu penso como sou anacrônica. É por isso que eu limito tanto minha vida social. Não sou uma igual. Não gosto de pagodinho, não gosto de bolerinho. Affe.
Para m
inha sorte, nas duas horas que passei lá, consegui dançar umas 4 músicas: Forró!
Oba!

Porque disso eu gosto!
Dançar grudadinha num cavalheiro
gostosinho e rodopiar pelo salão ao som da sanfona.
AH ...como eu gosto!

Parece que vai rolar o forró às sextas. Se é verdade, volto para a dança.
Voltei para casa cedo, dirigindo e tendo gasto muitas calorias ao longo do dia. Eu preciso de mais dias assim.
Aí, eu chego em casa e encontro a caçula em crise. Parece que o garoto que ela queria ficar, não ficou com ela. Nunca vi tantas lágrimas na minha vida. Para variar, fez malcriação e desrespeitou as regras que estabelecemos de convivência. Parece que ela gosta de chocar e ferir. Me pediu para ir numa passeata no Centro da cidade na quarta-feira. MORRI. Não deixei. Ela está começando a andar sozinha indo e vindo da escola. E faz merda invariavelmente. Não confio ainda que ela possa ter autonomia aos 12 anos, bebêzona daquele jeito, sem responsabilidade nenhuma, para ir ao Centro do Rio numa passeata que nem panfleto tinha para convocar (é claro que eu teria que checar quem convoca hauhauhaua)... Affe! Mais um milhão de lágrimas! Ela me odeia! Expliquei e estabeleci que se ela não dormir numa hora normal para ter, pelo menos, 8 horas de sono, não vai ter de volta os esmaltes e nem a TV no quarto. Mostrei que se ela quer que eu confie nela, ela tem que começar a crescer e assumir responsabilidades. Bla Bla Bla de mãe. Insuportável. Acabei dormindo de tanto tédio. Acordo 1:30 e vejo que ela ainda está acordada. Chamo atenção e, mais do que irritada, a mando dormir. De manhã, quem disse que ela conseguiu acordar para ir ao Inglês? Já sei que mais uma noite de sermões, lágrimas e emoções extremas me esperam...
Afinal, vida social pra que mesmo?

by O+*

*Edited*




14 comentários:

Guará Matos disse...

"Mexe Com Minha Estrutura, Sara Todas As Feridas...".
Boa sorte.
Bjs.

hellomotta disse...

"E faz merda invariavelmente"?
Isso é genético na nossa família?
Minha irmã quase dá tanta dor de cabeça que nem eu. Quase é tão emo que nem eu, mas consegue ser ainda mais esperta do que eu.
Dizem que os caçulas aprontam, né?
Ainda bem que eu deixei de ser caçula da minha família, pra ser primogênita da nossa.

Brincadeiras a parte, no one hates you. Eu até acho foda isso de "negociar" tudo. Já te falei isso. Lá em casa era assim: "é isso e pronto", quando eu não fazia ser, chinelos voavam invariavelmente.
Em todo o caso, caçula precisa de uma irmã presente. Mesmo sabendo que ela NÃO me obedece no cinema, ela querendo, é só chamar! \o/

Edu disse...

Filhos, por que tê-los? Mas se não tê-los, não se arrancam os cabelos...

Edu disse...

Ensino!

O "R" tá perto do fura-bolo esquerdo
o "a" tá no dedinho
o "p" eu cato com o vaitomanocu direito
o "i" também, que daquele lado sou cata-milho
o "d" vai no embalo do vaitomá, mas da outra mão
e o "o" fecha a parada.

Aprendeu?

hellomotta disse...

HAHAHAHHAH
A DO RE I o comentário do Edu!
Edu, você tá tão sensacional hoje que até já te twittei sua frase anterior! hahahaha

Paulo Braccini disse...

Filhos, por que tê-los? Mas se não tê-los, não se arrancam os cabelos...[2]

bjux

;-)

ana wants revenge disse...

nossa! tive um milhao de lembrancas da minha adolescencia, tantas lagrimas e mais lagrimas quando meu pai dizia um NAO, eu ja me achando adulta e era tao tola, vivia mais de castigo do que solta rsrs, tinha castigo acumulado pode?! :P

hoje agradeco tanto, vou repetir algumas coisas, outras nao vou fazer nem a pau com meus filhos. claro que a nossa geracao eh muito mais preparada para lidar com os pequenos, temos acesso a informacao, psicologia e tudo mais! ainda assim erramos, nao eh facil!

muito dialogo, amor e paciencia.
um beeeeijo grande
.
.
.

Mulher Asterísco disse...

Devidamente editado para a primogênita entender o contexto...

Vaca Jersey disse...

Filho é pra mostra que até transar tem contra-indicação... hahahahaha!!!!! Just kidding!!!! Beijos fast hoje!!!!! Amote!!!!!!!

Paulo Braccini disse...

#momentodecepção . como vc é má . como pode fazer isto comigo?

veja o que a VACA disse!

#magoei ...

;-(

Lobo Cinzento disse...

Super queria a o+* como mãe, que só toma as coisas.

Em casa eu perdia minahs coisas, tomava porrada, e ainda ficava de castigo ahauahauahuahau

AD disse...

Adoro dançar forró. Não tem dança mais sensual, quase um sexo em praça pública.

Não posso ler seus comentários lá no trabalho. Cliente em frente a mim com seus desesperos e nessa eu abro o e-mail e vejo teu comentário. Quem disse que consegui segurar a risada. Só faltou o cliente perguntar se ele era palhaço.

E xadrez ainda tá na moda, então pode. Rsrs. Abração.

Caju disse...

Eu comecei a andar sozinho para ir a escola aos dez anos. Haviamos acabao de mudar para nossa casa própria e estavamos na metade do segundo semestre. Pegava dois ônibus, num percurso de mais de uma hora. Graças a deus não me aconteceu nada. E, no fundo, era até divertido. Mas entendo a sua preocupação de mãe e acho que estás certíssima.

Naturalmente, adoro forró. Mas nunca encontro um par decente para mim. Tsc!

Bjo

Barbara disse...

Meus filhos me odeiam eu odeio os meus filhos o mundo me odeia eu odeio o mundo
Mentira
Mas o esforço é como na música que Zizi Possi canta:
"é sobrehumano amar".