sexta-feira, 5 de março de 2010

Gestão da Mudança 2

Eu nem sou tão invejosa, mas tudo que a Hello está postando, eu venho aqui e posto também.
Aqui estamos com uma grande reestruturação. O nosso setor vai mudar de identidade.
E é dificil não nos perguntarmos o que muda no Blog, uma vez que nosso blog faz parte do que somos aqui- por antítese. Nem froid sempre foi a válvula de escape dos problemas que enfrentamos. Postar era uma forma de amenizar a irritação e garantir alguns momentos criativos no meio de um dia de tarefas repetitivas. Com um cérebro mais jovem e rápido, a Hello conseguia fazer as duas coisas bem. Not me. Eu nunca gostei do que fazia aqui. Arrogante, eu sempre me achei pérola jogada aos porcos.
Mas fui feliz aqui. Não com o serviço. Com as pessoas. Com 99% delas, aliás. Mais com uma delas e vocês sabem quem é. Não sei se esta é realmente uma empresa especial, na qual a colaboração é mais frequente que a competição ou foi o nosso lado "Loser" que fez com que nos tornassemos mais do que "colegas de trabalho", confidentes. Mesmo apesar da diferença de idade e do style. É que ela é assim: do bem. E eu nunca fui deste mundo mesmo. No post de despedida da Naty, alguns já perceberam o que estava por vir... sim, estou de saída. Uma saída que busquei e estão me enrolando a mais de um ano, depois de uma envenenada básica daquela que vai supervisionar o setor no qual Hello continua. Daí que ela estar preocupada é normal. Mas ela é bem maior que isso. Assim como eu.

Hoje, fiz uma entrevista no novo setor que se apresenta. As coisas estão andando. Mas não deixo de achar estranho como as coisas sempre se apresentam para mim em encruzilhadas.
Foi assim em 95 quando estava desempregada e passei em dois concursos e a entrevista de admissão dos dois era no mesmo dia. Eu tive que escolher sem experimentar. Fiz a escolha mais ampla, menos cômoda. Hoje sei que foi a certa. Na última vez em que estive desempregada, fui novamente aprovada em dois concursos com pouco tempo de diferença na apresentação, escolhi o que ganhava menos mas que era o que eu queria e que me trouxe até aqui. Com namorados, então, é batata!!! Quando fico um tempo sem e aparece algo que preste, sempre aparece outro também e lá vou eu tendo que escolher de novo, mas nesta modalidade, acho que escolho o errado. Injustiça das injustiças: tem sido sempre assim com empregos ou namorados - ou é a seca ou a abundância. Mas a abundância não me faz feliz porque não sei o que seria se eu escolhesse aquilo que não vou escolher... e enquanto fico dividida, fico ansiosa.
E agora é assim, mais uma vez: tenho duas propostas de mudança de setor.
*Esta história de bifurcações em minha vida talvez seja uma espécie de reedição do grande drama que vivi aos 16. Quando passei meses atravessada pela dúvida sobre que tipo de mulher queria ser: aquela que desbrava o mundo ou a que mantem um lar e cuida da sua felicidade pessoal? Mas mesmo tendo escolhido uma, tentei ser as duas. Nunca me conformei em abrir mão de nada. Com o tempo, fui aprendendo... não sem reclamar. *
Agora é mais um destes momentos chave e os dois setores para o qual posso ir tem lado bom e ruim. Num deles, justamente aquele que me parece - agora- mais atraente, vou ficar beeeeem mais longe daqui e das pessoas que amo. Da Hello, da Jenny e do Paulo Roberto. Mas também de andar por aí e sair cumprimentando todo mundo. O certo é que a mudança vêm. Se vai ser mais ou menos radical, ainda vamos saber, mas mesmo que ficar aqui não seja mais uma opção , curiosamente já estou com saudades. Saudade da minha mesa, da Annun na minha direita e da Fê atrás. Saudade de aproveitar qualquer brecha ou criá-las para vir aqui para o Blog.

Acontece que sou meio tacanha nestes momentos de dúvida, porque tenho muita dificuldade de pensar uma coisa e dizer outra. Hoje, na entrevista, tive que exercer um grande domínio sobre mim para não dizer: Olha, eu achei interessante o que você está me apresentando, mas também estou esperando uma outra proposta. Seria uma auto-sabotagem, mas seria a minha cara. Eu não gostei de dizer: "Claro que é isso o que quero fazer!".... enquanto uma parte do meu cérebro se indagava: Mas se sair a outra, como é que vou dizer que não vou ficar aqui? Não gosto de estar dividida, de não saber o que quero. E eu, toda simpática, me achando toda meiga, ainda tive que ouvir do gerente que eu era forte e questionadora. A gente nunca é visto pelos outros como a gente se vê kkkkk
Vou deixar, como disse no post anterior de mesmo título, que a engrenagem ande sozinha e vou aprendendo a calar sobre o que penso. O problema é que, no meu caso, calar não é só manter a boca fechada, é também controlar as expressões do rosto, porque nunca vi um ser humano com mais dificuldade de esconder o que está sentindo do que eu.

Mas, convenhamos, agora que eu tenho um blog para me ouvir, eu nem mais preciso falar tudo para todo mundo o tempo todo.

6 comentários:

hellomotta disse...

Ela tá indo, e você se preparando pra ir.
E depois falam que eu sou coração de manteiga demais. Não tem que ser?

Confidentes. É, vou sentir saudades. A vantagem é que você nunca me entende verbalmente, mesmo. Espero que seu nome continue verdinho sempre que alguém de ombros largos me catucar o pescoço e me enrolar a cabeça.
=]

AD disse...

Mas, a dupla dinâmica deve continuar no blog.

Como vc disse, em assuntos de trabalho vc sempre escolhe bem, sabe ouvir suas necessidades. Então, só preciso dizer "sucesso".

Bom fnds para as duas. Beijão.

Guará Matos disse...

Na questão de escolher namorados, da próxima vez me apresentarei junto com o Brad Pitt. Sei que você irá ficar numa dúvida atroz, entretanto darei minha vez para aquele atorzinho norte-americano e que tem a mania de ter mulher bonita e boa (você é?).

Bjs.

Diego disse...

O quê? "Bonita e boa" é apelido perto do que ela é. Coidelouco.

Lobo Cinzento disse...

Que inveja da sua capacidade de conseguir tomar a decisão certa na hora que as bifurcações surgem.

Quer me fazer uma consultoria não? Cara ou coroa não tem se provado um método muito eficiente... ahauahauahaua

Boa sorte proce no novo setor, ou onde quer que vá parar. Que seja pro seu melhor. E da Hello tb. E do blog, porque sou desses, que ficaria super triste se o blog desfalcasse por conta disso...

Beijos!

Mulher Asterísco disse...

Hellokitty, "sempre que alguém de ombros largos me catucar o pescoço e me enrolar a cabeça" e outros alguens também...

AD, sim, ao que tudo indica...

Eu aceito que dê a vez ao Brad porque ele está na fila a mais tempo...mas não se esqueça, Guará, que a fila anda.

Dieguitcho...de louco mesmo...indo para o hospício ...

Lobinho, nenuma capacidade, pura tensão e sofrimento...