quinta-feira, 4 de março de 2010

Gestão da mudança

Blog is catching. Eu reparo em certas coisas, procuro sinais. Tem dias que temas dominam os assuntos dos posts dosameego. Mas pra que falar de BBB10 se eu estou divorciada do gosto do público e todo mundo que eu não gosto acaba ficando? Então não vou falar... e nem assistir, enjoei.

Mas tem um tema que foi colocado por muitos: Despedidas. Edu, Hello e Gato de Cheshire tiveram amigos saindo do emprego ou da cidade. Mudança de trabalho e de casa tem sido companheira destas despedidas.

É mais ou menos assim: qualquer mudança acaba implicando numa despedida, de uma pessoa, de um estilo ou mesmo de um hábito. Por isso, mudar dói. Porque é preciso deixar algo ou deixar algo partir. E eu sinto saudades do cigarro mesmo não gostando mais dele. Vai explicar?

Mas a verdade é que enquanto, na superfície eu relatava a saga de Tilikum em posts, segundo a Hello, estapafurdios, aqui dentro a placa "emocional" tentava se encaixar na placa "modo de vida" e alguns abalos foram sentidos. Uma acomodação dolorosa, que implica em perda, em crescimento, em piedade, em disciplina que já vem sendo preparada à algum tempo. Vai levar um tempo para chegar à superfície aquilo que aconteceu. Porque não foi violento. E é uma onda que começa pequena, mas que quando entra em movimento, não precisa de mais nenhum esforço para seguir adiante, em alguns momentos parece que ela perde energia, em outros parece que ganha. Mas a engrenagem já está girando, por si própria.

Eu renuncio ao controle sobre a Vida, para ganhar algum controle sobre o que entra e o que sai da minha boca. Porque a vida é frágil demais para poder ser controlável e a única constante é a mudança, de forma, que 'el presente es lo unico que tenemos'.

10 comentários:

Guará Matos disse...

Eu não sei se tenho qualquer controle sobre coisa alguma. Acho que vivo de inspirações.
Ah, também não sei.
Bjs.

Edu disse...

Quando eu morei na Dinamarca, minha pequena máquina de lavar pulava tanto que eu ficava sentado no chão com as costas apoiadas nela pra evitar de ela andar pela casa. Depois de algumas vezes, cansei e passei a deixar a máquina ir pulando do comodozinho dela para a cozinha. Era o tempo certinho de lavar e aí eu sabia quando tinha terminado. Ou seja, deixa a vida te levar! :-)

hellomotta disse...

Essa é a Chris que conheço! \o/

Eu sei que precisamos mudar. Mas algumas dão sensação de perda. Tá, eu sei que não é perda, mas no começo é difícil.
O que não munda,minha cara amiga, é que você vai continuar me lendo e lendo por um longo tempo! =P
E isso me consola!
\o/

Paulo Braccini disse...

toda mudança é ameaçadora por isto angustia e doí ... mas sem ela como nos construiríamos enquanto SER? enfim ...

agora ...

assistindo o vídeo literalmente perdi o meu controle ... #momentopânico

hoje sem bjux

arrepiado

pânico total ... king size ... kimêda ...

Mulher Asterísco disse...

eu coloquei o video do king size???
é isso qo que dá colocar video sem saber o que é porque esta bloqueado aqui

Mulher Asterísco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vaca Jersey disse...

Eu adoro essa ilusão de que controlo tudo... mas na real sou total descontrolado... hahahaha!!!! Não espalha! Beijozzz!

Diego disse...

Senti um verniz de Clarice Lispector nesse texto.

Lobo Cinzento disse...

Controle? Que ser controle?

Como um carro numa pista sem atrito, que segue sem parar, assim vai a vida. A gente vai patinando, patinando, até que uma hora a tração funciona e a gente toma um pouco do controle.

Até virar a esquina e o carro deslizar de novo...

Controle é para os fracos! Viva o caos! XD

Mulher Asterísco disse...

Verniz ou esmalte para unhas?