quinta-feira, 27 de maio de 2010

E mais outra...

A eterna luta das mulheres contra a balança da maldade...


A verdadeira maldade é aquela que se apresenta em frascos inofensivos.Disfarçada de instrumento de precisão para que ninguém desconfie de seus verdadeiros objetivos, disseminar a discórdia e o mal, a balança é , entre tudo o que existe no planeta, a coisa que tem o maior poder de destruição do humor feminimo. Sob uma aparente objetividade, se esconde o inominavel. A balança é tão cruel que mesmo aquelas mulheres que já estão com os ossinhos do ombro mostrando suas pontas, se convencem que têm que perder mais dois quilos toda vez que sobem nela.

Este fenômeno é assombroso, e, infelizmente, temos que reconhecer, escapa à uma capacidade de intelecção comum. Mas, como sempre, não desistimos. Curiosamente, em função de alguns incidentes, que podem não ter sido, assim, tão acidentais, cogitamos seguir uma linha investigativa ousada sobre este assunto.

Tudo começou há uns dois anos, quando recebemos uma denúncia anônima de uma operária de uma multinacional conhecida (vamos ocultar o nome com medo de retaliações) do ramo de balanças digitais que disse estar passando acidentalmente pela porta (sempre trancada) do setor de Qualidade Total, justamente na hora em que uma pessoa muito sinistra saia de lá. Ela diz “A gente já sabia que o pessoal da qualidade é meio estranho mesmo, mas o que eu realmente achei esquisito era aquela fumaça, com cheiro de incenso e penas de galinha”. Continuamos trocando e-mails com esta moça por uns dois meses, quando, de repente nossa comunicação foi interrompida e, desde então, todos os nossos correios voltam com a mensagem de que sua caixa está cheia.

A partir daí não foi dificil formular a hipótese de que haja algo que não se pode dizer o nome por trás daquele simples visor. Começamos então a experimentar novas técnicas de olhar a balança, evitando olhar diretamente, para evitar seu efeito devastador. Começamos tentando óculos escuros, em vão. Depois passamos a ler os números com a ajuda de um espelhinho, esta técnica se mostrou eficiente para alguns números, mas terríveis para outros. Uma das autoras deste livro, desenvolveu uma técnica especial, ela pede para seu filho do meio olhar para a balança e só revelar o que viu submetido a um detector de mentiras. Nas três ultimas vezes que utilizou esta técnica, os números se mantiveram inalterados em 96,8 Kg. Mas como ela era a que mais se correspondia com a operária da fábrica de balanças, ela não se importou com isso e seguiu sorridente pela vida, até que na semana passada, viu aquele gato que ela se derretia toda, namorando uma jovem com a metade do peso que aparecia em sua balança. Desde então, entrou num programa de emagrecimento via Internet com resultados surpreendentes (veja abaixo) em todos os sentidos - inclusive sobre o rapaz . É lógico que isto estourou seu cartão de crédito, mas enquanto não recebe os direitos autorais por este livro, ela está pagando suas dívidas, emplacada numa carreira de cantora e compositora de sucesso. Vamos, então, publicar para vc em primeira mão as cifras de uma de suas canções que chegou ao top 10.

Tom: F#m

Intro:E (F#m B G#m C#m)

F#m B

Oh, cê não acreditou

G#m

Você nem me olhou

C#m

Disse que eu era muito gorda pra você

F#m

Mas,

B

Agora que eu tô magra você quer

E

Me namorar

F#m B

Oh cê não acreditou

G#m

Você se quer notou

C#m

Disse que eu era muito gorda pra você

F#m

Mas,

B

Agora que eu tô lipo-aspirada você quer

E

Me namorar

F#m B

Não vou acreditar nesse falso amor

G#m C#m

Que só quer me iludir me enganar isso é caô

F#m B

E pra não dizer que eu sou ruim

E

Vou deixar você me olhar

Só olhar, só olhar, baba

F#m

Baby, baba

Olha o que perdeu

B

Baba, a baleia emagreceu

G#m C#m

Bom, bem feito pra você eh, agora eu sou mais eu

F#m B E

Isso é pra voce aprender a nunca mais me esnobar

Baba baby, baby, baba, baba

F#m

Baby, baba

Olha o que perdeu

B

Baba, a baleia emagreceu

G#m C#m

Bom, bem feito pra você ehh, agora eu sou mais eu

F#m B E

Isso é pra voce aprender a nunca mais me esnobar

Baba baby, baby, baba, baba

F#m

Baby, baba baba ba

B

Baby baba baba ba

G#m


Antes:

Depois:

Veja só a cara de mal-humorada que ficou uma das autoras deste livro depois de seu tratamento de emagrecimento pela Internet. No momento ela está tomando Prozac para superar o trauma.

6 comentários:

Guará Matos disse...

A morena, da cadeira, é linda!
Tem charme e muita gostosura, oba!
Bj.

Paulo Braccini disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk ... não sei pq todos tem este trauma de uns kilinhos a mais ... não entendo mesmo ... adoro umas carninhas para apertar e morder ... ah neimmmmmmmmmmm

bjux

;-)

My disse...

O problema desses tratamentos é isso.. consegue-se o resultado esperado, porém o humor e os objetivos quase nunca são os mesmo de antes! rss

AD disse...

Não vejo a hora de ver a O+* ao vivo em cores e em toda sua gostosura.

Sobre o gerundismo, não sou operador de telemarketing, baby.

Xerão!

Visão disse...

Adoray! Esse negócio de ser gordo e feliz é utópico, não é? Mas ser toda trabalhada e se vingar e leendo.
Bjs

Robson Schneider disse...

Quem disse que só as mulheres tem o humor destroçado pela balança? grilos, grilos milhares deles cantando... hehehehe
Bjo