quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ter ou não ter alguém?



Estava quase que de férias de mim, ocupada demais com a caçula e sua montanha-russa. Mas o post do Rafa me trouxe de volta ao questionamento sobre mim mesma que tenho tido nos últimos meses.
Tenho uma amiga que assumidamente está à procura de um companheiro. Tenho diversas conhecidas, mais ou menos da mesma idade que eu, que, definitivamente, estão à caça. E usam todo arsenal que Deus, a Cosmética ou o Dinheiro lhe dão para esta empreitada. Eu não. E me dá uma certa agonia ver o desespero escondido no sulco das rugas que a 'foundation' não conseguiu esconder. Não me reconheço nisso, nem quero.
Estou há 4 anos gostando d'Ele. E estou há 4 anos só. Ontem almoçamos fora e sempre me surpreendo o quanto só estar ao lado d´Ele me acalma e me ativa a endorfina... não precisa nem beijar, nem agarrar... não é um amor sexual, apesar de sexualizado. Aliás, nem sei bem o que é. Havia um espaço vago na minha expectativa afetiva e Ele se instalou lá. E não quer sair. Ou, então, não quero deixá-Lo ir. O único porém é que enquanto Ele está aqui, eu fico só.
Mas fui me acostumando a estar só. Tanto que até parece que não existe a pessoa que caberia aqui do meu lado. E quando penso, sei que nem Ele caberia.
Não sei bem nem se há um lugar vago aqui onde não há ninguem.
Sei que estou só, me sinto só, sinto falta de viver e realizar um amor, mas não é, nem de longe, um vazio.
Tenho preguiça de sair com alguns pretês. Até gosto da pessoa ou do sexo ou de ambos, mas acaba sendo uma coisa meio "nada", com técnica, mas sem inspiração. Hoje, o fato é que quase não pago preço algum para ter companhia. O que me parece é que para eu aceitar a companhia de alguém, vai precisar ser algo pelo qual valha a pena o cansaço de dar explicações, aceitar defeitos e etc...
Mas, juro, se eu pudesse escolher, ficaria com o primeiro que aparecesse que não fosse Ele e me assentaria em paz. Calaria a voz que grita dentro de mim pedindo por algo realmente especial. Eu simplesmente apertaria o botão da vaca e só relaxaria e gozaria...
;-)

8 comentários:

Paulo Braccini disse...

pronto resolvido ... aperta o botão amore e ................

bjux

;-)

Paulo disse...

Ter alguém, sempre! O difícil é achar esse alguém especial... Ou, pior, achar esse alguém e não poder tê-lo...

Ninguém foi feito pra ficar sozinho, pra viver sozinho. O ser humano necessita desesperadamente dessa cara metade, desse abraço de noite entre os lençóis, do beijo apaixonado...

Solidão dói, vai corroendo lentamente.

E eu odeio isso...

AD disse...

aperta o botão O+*.

Guará Matos disse...

Estar é bem melhor que ter. Estar é cumplicidade, ter é posse.
Bj.

Lobo Cinzento disse...

Aquele espacinho que temos dentro de nós, que tecnicamente deveria estar reservado para alguém, pode ser facilmente preenchido por outras coisas. Depois que é, e que nos acomodamos com a substituição, fica difícil escolher. Tirar o que já me faz bem, para tentar encaixar esse estranho instável na minha vida? Tem que valer muito a pena...

Beijos o+*!

Respondendo seu comentário, sim, meus aluninhos muitos vivem essa realidade. A gente faz o que pode, mas somos professores, não pais nem assistentes sociais. Fazemos o que está no nosso domínio, o resto foge do controle. O problema todo é que qualquer coisa nesse meio, traz todas das consequências de ser um igual junto...

Priscila Lima disse...

"quem ta dentro quer sair e quem ta fora quer entar!"

Guy Franco disse...

Não precisa correr. Vem, descanse um pouco e coma alguma coisa.

Ter alguém é posse, disseram aqui. Ãrrã. Qual o problema de posse? Ah, o desapego... eu é que não quero ter desapegos.

Kissu!

Rafa disse...

O que dizer?! Tá lá no post que vc citou. Sorte pra nós e enquanto não acontece, bem-vinda ao "Single and Faboulus Club". Bj, lindona.