segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Sex symbol

Aquela moça estava insatisfeita consigo mesma. De verdade. Não era mais aquela coisa de mulher de estar sempre fuçando algo para reclamar do seu corpo ou da sua vida. Era um outro patamar. Mas, como muitas outras, seu corpo era o principal territtório de sua batalha consigo mesma. Tinha decidido: era uma baranga. Desta forma estava livre para ser amada por quem ela era como pessoa e não apenas por ser um corpo desejável. Seus encontros afetivos seriam mais honestos, nenhum homem se aproximaria dela para usá-la sexualmente apenas. Quem a quisesse estaria pronto para ver a beleza interior e descobrir os tesouros que ela tinha escondido por baixo daquela capa de gordura. Pronto. Tinha achado uma forma de se proteger dos aproveitadores de plantão.
Mas se há uma lei no destino humano é que todos os atalhos que se toma para desviar daquilo que se quer afastar acabam conduzindo justamente para o indesejado. Desde Edipo é assim, fugir das profecias é o caminho mais curto para cumpri-las. E ela queria fugir de sua sina de mulher, cujo corpo foi socialmente transformado em mercadoria. Ok! A desculpa se encaixava na sua rebeldia e , é claro, no seu apetite.
Quando aquele homem se interessou por ela, apesar dos avisos das amigas, ela tinha certeza que ele tinha visto nela o tesouro escondido e que se estava com ela, era por amor e não apenas sexo. E sobre os outros que a rondavam, pensava a mesma coisa: Com tantas moças mais magras, mais jovens, mais bonitas e mais gostosas dando sopa por aí, quem a escolhera só poderia estar interessado em mais do que apenas sexo. Acreditava nisso. E, por isso, acreditava na sinceridade e na profundidade do interesse dos que se aproximavam dela. Ela gostava de acreditar.
Mas um dia, depois de muitos anos e provas, teve que se render às evidências: Aquele homem até gostava dela, da pessoa que ela era, mas era o seu corpo que ele queria. Apenas isso. Começou a pensar no assunto e se deu conta que com aqueles outros dois que a rondavam era a mesma coisa.
Chegou a conclusão que não adianta usar sua gordura para filtrar um interesse sincero. Não. Os homens sempre vão querer sexo e só por Tesão. Pelo menos, os normais. Paciência. Enfim, estava livre para seduzir quem quisesse sem pensar em mais nada e aproveitar sua nova auto-imagem de símbolo sexual.


13 comentários:

Edu disse...

Eu como!!!
A pizza, pelo menos. Bora pra Sampa fazer festeenha?? Vem vem vem!

Rodrigo disse...

atitude. claro que a autoestima tem que estar legal, mas a criatura tem que se garantir no borogodo.

Gato Van de Kamp disse...

Tah vendo????? Historia barbara, desfecho incrivel que descaca a emblemática sexualidade humana e deixa ela assim.. Tal como ela é....

Agora Passione, Cris???? Muita merda pra ver apenas a Cleide Yaconis dando show...

Aki... Solicitei com o Rafa um encontro de blogueiros pra qdo eu estiver no Rio.. Promete pra mim que vc vai.. Sei lá.. Tenho medod e homossexuais, preciso de uma mulher pra segurar a minha mão... Fico inseguro, preciso de alguuem q n seja um alvo em potencial a mesa pra poder relaxar.... Vc me entende, né??? É o meu jeitinho!!!!

hellomotta disse...

Se eu fosse avaliador do ENEM, eu dava 10 por esse texto.

O tema podia ser a aceitação do corpo ou da sexualidade, né?
ia ser bafão! auhUahUHa

Pimenta disse...

AMei!Eu, como baranga gorda e bem comida, quero muiiiito uma camiseta dessas!E olha que eu não sou dada a arroubos consumistas,uma vez quis assim desse jeito uma parafusadeira e uns dez anos depois quis muito um patinete.(a parafusadeira eu uso, o patinete não, rsrsrs)
Estampa, faz um paypall e vende que eu compro e uso!(mas tem que despachar para HK)
bjo
Muito dez o texto.É bem assim.Quando você se aceita, sempre aproveita as coisas melhor.Venham como vierem.

Pimenta disse...

Existe isso? venham como vierem?
AHAHAHAHHAHAHA, desculpa!
bjo

Paulo Braccini disse...

Maravilhoso o texto ... o seu contexto é mais bacana ainda ... entendo q cada um de nós na vida tem q se aceitar como tal e se valorizar como tal ... cada um de nós é muito mais "importante" que o outro, pelo menos para nós mesmos ... assim ... bora gozar e muito ...

bjux

;-)

Gui disse...

Adorei o desfecho.

Adaptação é uma boa parte das coisas. Mas não é tudo.

Se adaptar sempre é problemático.

Beijo enorme.

E precisa ir pros encontros sim, senti muito sua falta. Quando eu te ligar, me atende!

AD disse...

Já anotei na agenda e meu presente será ao vivo. Rsrs.
Bjs!

Dêco disse...

Eu tenho um amigo lindo e sarado que namora uma gordinha e todos perguntam "pq?".
Acho digno.
Beijos M*

Júlio César Vanelis disse...

Nossa, A-DO-REI. O povo as vezes se cega com o que passa na TV, mas as pessoas podem sim possuir uma imagem de desejo diferente do que é vendido na. E depois, auto-estima não se mede na balança, e nada melhor do que auto-estima para que as pessoas te notem e te desejem...

Adorei o texto, de verdade...

Um grabde abraço, até o próximo

Caju disse...

Me identifiquei.

Lobo disse...

Precisei ler esse texto umas 3 vezes para tentar absorvê-lo inteiro. E acho que ainda não consegui.

Também tenho minhas formas de defesa. Mas a problemática toda está no fato que toda muralha tem uma falha em algum lugar. Saber onde ela está ajuda, mas qualquer golpe mais bruto traz ela abaixo.

É melhor se proteger ou deixar o caminho aberto para ver tudo o que passa?

Ainda não sei.

Beijos O+*!