sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

8 de março- centenário de Maria Bonita



Eu gostei desta terra. Terra de mulheres pequenas, rostos redondos e morenos, mas com um brilho de desafio no olhar. Este post é em homenagem a elas. Todas elas dentre as quais houve uma pioneira. A primeira mulher no cangaço. Coincidencia seu aniversário cair na data em que todas as mulheres do mundo reivindicam as suas próprias lutas. Talvez não seja coincidência, mas sina.

Acabei de chegar de uma viagem pelo sertão, mais precisamente, pelas águas do sertão. Tomei banho no novo leito do Rio São Francisco que ocupou um vale rochoso, cemitério de tribos ancestrais e cujas grutas abrigaram cangaceiros e emboscadas à pouco tempo. Um pedaço espetacular de nosso planeta. Onde se vêem nas rochas cicatrizes de outras eras.

Os guias disseram que aquela gruta na qual chegamos de canoa tinha sido o local da emboscada que derrotou Lampião e Maria Bonita. Não importam para mim neste post a fidelidade aos fatos, mas às lembranças. E lembranças são miticas. Porque tem gente que gosta de atribuir significado á elas. E, com certeza, há muito significado a ser atribuido à uma mulher que fez do amor o seu destino, e lutou lado a lado com o seu companheiro de armas e de vida. E, assim, ousou desafiar a lei, a ordem e o que se espera de uma mulher. Não viveu até os 100 anos para nos contar sua história. É uma pena. Queria eu poder sentar no chão, encostada em uma cadeira de palha, tomando uma umbuzada enquanto ouvia histórias de como as outras mulheres foram entrando no cangaço, sobre o que aconteceu que levou um movimento de resistência a se corromper e outras tantas histórias que - no fundo- são as mesmas que vivo, em outros cenários.

Para além de toda institucionalização do 8 de março, acontecem momentos como este, nos quais eu me sinto parente de Maria Bonita, Frida Kahlo, Domitila Barrios, Anita Garibaldi e de todas aquelas mulheres que tentam passar para suas filhas e netas um pouco da sabedoria que adquiriram na dificil luta que é se tornar mulher.

7 comentários:

Caju disse...

Meu celular esteve meio indisponível hj - coisas da Vivo - e n consegui te ligar. Mas adorei conhecê-la e espero que haja um a próxima vez. E que eu tenha mais tempo para lhe dar atenção.

Um beijo!

hellomotta disse...

Fiquei com vontade de tomar banho neste Rio!

Ah! Falando em luta, preciso te entregar o papel da sindicalização!
=X

Júlio César Vanelis disse...

Muito legal o seu post... Viajar é o máximo! pelo visto sua viagem valeu bastante a pena... xD

Um abraço, moça... Até o próximo

AD disse...

Sentir o passado é viver também o presente. Que as águas do São Francisco tenha te ungido de novas forças. Bjs!

Paulo Braccini disse...

Um passeio realmente maravilhoso e marcante ... revitaliza e nos leva a muitas dimensões ...

e vivas ao povo Sergipano ...

bjux

;-)

Lobo disse...

Ah, você foi nos Canions tb?

Muito lindo aquilo lá, né?

Beijo O+*!

Rafa disse...

Como viajar é bom!! A gente volta renovado, né?

Bj