quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

QUEM UM DIA IRÁ DIZER QUE NÃO EXISTE RAZÃO NAS COISAS FEITAS PELO CORAÇÃO

Em algum lugar de sua memória poetica, ele tinha se instalado de calças largas e cabelo esvoaçante. Parecia saído de um passado possível mas que ela não tinha vivido. Por isso a sensação de reconhecimento daquela beleza de maluco que achava que ele tinha.

Ela se prende à imagens, procura um enredo pelo qual se apaixone. É uma romantica. Não do tipo comum que sonha com flores e festas brancas. Mas do tipo literario. Ela imagina que é a protagonista de um Romance e fica buscando bons enredos para preencher suas páginas.

Sabe-se lá porque que ficou parada em algum lugar entre Dumas ou Austen, mas convenhamos que já está na hora de se atualizar.

Por algum motivo ela acreditou que ele também se via protagonizando uma história. Ela realmente gostava de acreditar.
E por um mesmo motivo, ela tinha colocado ele neste lugar de possível heroi. Coisa dela.

Na verdade, era este o seu problema. Buscando heróis, não tinha conseguido amar de verdade. Também, de carne e osso, a maioria dos amores reais eram por demais banais para merecerem virar um livro. Buscando heróis, ela construiu nela mesma aquilo pelo qual se apaixonaria. Ela só custava um pouco a perceber que ela já tinha tudo o que buscava em alguém especial. Mas estes momentos existiam e neles, ela sabia que se parasse a busca, encontraria o amor. Talvez o amor já até estivesse ao seu lado.

Ele era uma das últimas trincheiras nas quais sua projeção romantica se escondia. Ele a desejava também. E ele a enrolou por anos. Ela adorou isto. Até que, coisa dela também, pagou para ver. Escolheu a hora e o lugar. Mas algo dele não compareceu. Ele não levou seu beijo mais gostoso. Ela até acredita que ele tenha um beijo mais gostoso. Mas ela não tinha tempo para procurar, o amor de verdade a esperava.

6 comentários:

Paulo Braccini disse...

De há muito aprendi não acreditar em heróis e em amor devastador ... prefiro a quietude do bem estar equilibrado entre a razão e a emoção ... enfim ... cada um no seu quadrado ... tá certo ... dirão q me armei e q assim a vida pode não ter muito sentido ... para mim o q não faz sentido é sofrer, ainda mais por amor ... NOT ... não quero isto ...

;-)

hellomotta disse...

Curiosa mode on!

Lindo post, M.A.!

Júlio César Vanelis disse...

Nem preciso dizer que AMEI o título, né?? hahaha
Mais ainda, amei o texto... É bom saber que eu não sou o único que cria os romances na cabeça a minha maneira... Só quero ter a sabedoria dessa mulher de de dar conta na hora certa... :D

Um grabde beijo, moça... Até o próximo

Edu disse...

Cu-rioso mode on. Será que a hello me conta os detalhes?? Mas se ele não tem um beijo melhor, pode andar que o mundo é grande. Next!

Gui disse...

Somos sempre protagonistas das nossas histórias!

E olha, acho vilão redimido super sexy.

Lobo disse...

Confuso e desorientado.

Sinto que é um texto muito bonito e cheio de significado, mas hoje estou meio tapado.

Tá gostando de Aju?

Beijo o+*!