quarta-feira, 11 de maio de 2011

Mais uma de amor...próprio e alheio

Eu ainda não consigo deixar de lamentar o tempo perdido. Inevitável, pois este tempo esta bem marcado em meu corpo e rosto, nas rugas, no amolecimento dos tecidos, nos cabelos brancos e no cansaço. Sei que existem soluções paleativas para todos estes problemas, mas exigem tempo, dedicação, paciência e, até mesmo, dinheiro. Lamento e, secretamente, me critico. Porque eu estou num momento da minha vida em que é como se eu estivesse dando os primeiros passos na vida de adulta. Começando a me estabilizar profissionalmente, retomando os estudos, conseguindo ser mãe, comprando meu primeiro carro zero, iniciando os planos para sair da casa dos pais e principalmente começando a curtir ser quem eu sou... Enfim, fazendo uma estimativa, na minha maturidade e momento de vida, eu tenho entre 25 e 30 anos. Mas não tenho.
E isto pesa. Principalmente nos assuntos do coração. Me sinto velha e feia para flertar por aí. Talvez até já tenha me acostumado a paz de estar só. É claro que pintam uns e outros para algo sem compromisso. Mas estou cansada disso. E , também, não sinto falta de companhia. Então o que quero?
Um amor novo. Quero um conhecer um homem diferente de todos que já tive. Que tenha uma visão de mundo amorosa e horizontes amplos, mas que não tenha manias, nem medo de me amar. Quero que ele saiba coisas que não sei e que goste do fato de eu saber coisas que ele não sabe. Quero que seja bom conversar e que a sede de palavras nunca se cure, mas que haja paz no silêncio. E que o sexo seja como disse Frejat, mesmo quando estivermos muito cansados, ainda exista amor pra recomeçar.
E se não é assim, tenho preguiça. Este é o dilema. Esta preguiça vem da idade, das experiências anteriores, do tédio com todo dejavu.
Talvez, se eu já tivesse conquistado minha estabilidade pessoal e financeira há uns 10 ou 15 anos, hoje eu tivesse tempo e dinheiro para experimentar e dar chance a possíveis histórias. Mas ando tão ocupada colocando em prática os meus planos, que acabo nem sentindo tanta falta de ter alguém ao lado. E nem pique para procurar.
Tem ainda uma voz que me diz que basta aceitar que o tempo que meu amadurecimento levou foi o tempo certo para mim e aí, sem lamentações, o amor virá para a minha vida da forma que eu quero, não como um tapa-buraco, mas como um bônus especial.

É isso.

Meu amor, cadê você?

10 comentários:

Wans disse...

Problemas do coração parecem que nunca acaba, né? Fico com medo de terminar minha vida sozinho. Sou daqueles que não conseguem. Felizmente encontrei minha companhia e espero que vc encontre a sua e que te ame pra caralho!

bjão, beibe.

Paulo Braccini disse...

Sim! é isto ... esperar e buscar mas com a sabedoria q a vida já lhe deve ter ensinado ... perfeição não existe ... existe tão somente a humanidade ... procure-a e encontrará ...

bjão querida

hellomotta disse...

Eu tô numa fase de amor puro, simples...
Entendo a sua caça sem procurar, e acho que de todos esse "quero assim, não quero assado" vão sumir quando alguém completamente cheio de defeitos aparecer e fazer o seu sorriso mudar de tom.
Pode apostar!
;*

Edu disse...

Bom, em último caso vamos todos morar juntos quando ficarmos velhinhos. Eu, vc, hello, Wans...

Fred disse...

Tô aqui...

Rafa disse...

Que post lindo e pessoal! Eu ando convencido que amor a gente não escolhe, acontece. A gente pode estar disposto, se abrir, até depois se sabotar, mas o amor acontece. Ai e quem definiu as idades limites paras coisas acontecerem? A vida tem cronograma? Vamos subverter isso?

Bj

AD disse...

qual o nome do carro?

Hugo de Oliveira disse...

Eu estou começando a amar...estou tao feliz.

Obrigado pela presença em meu blog.
Beijão de luz e paz

Lobo disse...

Nunca é tarde pra nada. Essa frase é um clichê danado, mas para que seja real, basta que acreditemos. Sempre é tempo para qualquer coisa quando deixamos de pensar no que os OUTROS vão pensar. Como você acha que aguento ser tão zoado pelas minhas esquisitisses? XD

Beijo O+*.

Fred disse...

Minha mulher amada... posso ter todos os amigos e amantes do mundo mas o teu lugar nunca será ameaçado. Não tens como tu teres mais espaço... porque todo ele já é teu... hehehe! Bjaozão!