sexta-feira, 10 de agosto de 2012

As férias mais estranhas

Eu pergunto porque não sei quais são os limites. Não há limites, disse ele.
Não sei se ele tem clareza de tudo o que está contido nesta resposta. Eu vejo ainda medo. Em mim. Nele. Dizem que não há emoção mais poderosa. E, de uma certa forma, 20 anos de afastamento também tem sua explicação nele.
Eu também disse a ele das descobertas que ando fazendo sobre mim, minha história. Eu gosto de compartilhar com ele. Confio. As vezes me irrito porque ele custa a entender, tão cheio de certezas que é. Mas quem sabe eu não possa descobrir um jeito de me explicar melhor. Gosto de fazer companhia. Cuidar. Gosto de ver cada centímetro de progresso. Em sua melhora e, também, aqui dentro. Gosto de ver o gelo derreter e descobrir que certas coisas não eram o que pareciam.
As dívidas estão sendo pagas. Hoje, é possível me amar por ser capaz de ser legal e fazer coisas boas. Não mais uma jovem presunçosa e egocentrica. Alguma arrogância e orgulho a vida quebrou. Sei lá se isso reverte em benefício para mim, pois cada vez mais, a vida insiste em me dizer que há algo nos egoistas que os tornam magnéticos e desejaveis. Mas eu gosto mais assim, como é hoje. Se for para atrair que não seja por manipulação. Mas também que não seja por dependência, como costumeiro. Seja por descobrir o conforto de amarmos e sermos amados. De estarmos na companhia de quem queremos para dividir nossas histórias e nossas referências. Espero que  não demore muito ou percamos o timing.
Eu vi uma lua, de sua varanda, nascer quente e vermelha e ir subindo até se tornar brilhante e soberana no céu. Eu a vi alçar as alturas centímetro por centímetro de onde eu estava. Eu tenho paciência para ver o amor conseguindo sair de seu esconderijo e ganhando confiança em si  para que possa servir de guia.
Seguro um pouco a fome de ligar todo dia, toda hora. A hora é de ter cuidado para amadurecer sem sufocar.

Depois de tanto tempo, eu me pergunto: se isso não é amor, o que mais pode ser?

5 comentários:

Edu ardo disse...

Tô aprendendo também!!

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo seu blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

hellomotta disse...

"há algo nos egoistas que os tornam magnéticos e desejaveis". Por que?? POR QUE???

Amadurecer sem sufocar... to nesse lance tambem!

Fico feliz com suas descobertas, parceira! =)

Cara Comum disse...

Nossa... Muito lindo esse texto.

E pode ter certeza que a vida toda vai ser uma grande descoberta e que, se isso não for amor, vai ter valido a pena ter vivido um sentimento tão genuíno.

Um abraço e boa sorte!

Lulis Paz disse...

Como eu costumo dizer, o amor é a reunião dos maiores clichês do mundo ^^

gostei da narrativa, tens talento

Hey segue de volta e deixa um comment?
www.diademegalomania.blogspot.com

valeeeu