domingo, 30 de setembro de 2012

Abóbora à Lua Cheia

Abóbora:  Melhora o aspecto da saúde da pele, olhos e mucosas, Evita infecções, Auxilia no crescimento,  Laxante, Diurética, Anti-reumática, Auxilia na formação de ossos, Melhora a contração muscular, Importante na transmissão dos impulsos nervosos, Atua na coagulação sanguínea, Boa para diabéticos e pré-diabéticos, para  náuseas e enjoos de gestantes, Aumenta a libido  e  Ajuda na cura de ferimentos, picadas de insetos, queimaduras leves e furúnculos.

Camarão: Tem também propriedades no combate à artrite e à artrose. Trata-se da glicosamina, uma substância contida no crustáceo eficaz na redução da velocidade do processo de desgaste das articulações, melhorando o estado geral e a qualidade de vida do paciente.

Aveia: Possui propriedades excelentes para baixar o colesterol, regular o instestino, prevenir câncer de instestino, perder peso, auxiliar no tratamento de diabetes, e prover diversos minerais e vitaminas para quem consome.

Limão: O limão pode ser considerado o rei dos frutos curativos, pela quantidade e variedade de suas aplicações. Auxiliar em regimes de emagrecimento. Ao tonificar o fígado e desintoxicar o sangue, ele equilibra o metabolismo de queima da gordura corporal e o mecanismo de compulsão alimentar.

Alecrim: É antisséptico, atua na debilidade cardíaca, tônico do coração e estômago, excitante, combate gases, bom para o fígado, rins e intestino e para menstruação irregular.




Gergelim: Aumenta a saciedade porque tem uma carapaça de nutrientes que, até ser quebrada para que ocorra a absorção do alimento, precisa de tempo, prolongando assim a vontade de comer. E ainda existem as proteínas, que também promovem a saciedade e ajudam na prevenção de flacidez. Alguns nutrientes encontrados nele, como as fibras insolúveis, contribuem para regularizar o trato intestinal. Além disso, é ótimo para controle de glicemia sangüínea, pois proporciona maior duração da saciedade e contribui para a boa disposição. Para completar, por conter uma grande quantidade de cálcio em sua composição, o gergelim ajuda no controle da massa corporal gorda, agindo não só na lipólise (quebra de gordura), como na inibição da lipogênese (armazenamento de tecido adiposo).

Com as próprias mãos:   Na primeira noite de Lua Cheia, pegue uma abóbora bem redonda, lave bem, parta ao meio e retire as sementes. Pincele por dentro e por fora com óleo de coco e leve as metades ao forno, envolvidas por papel aluminio. Enquanto as abóboras cozinham, pegue camarões em forma de lua crescente e refogue-os no alecrim, temperando com limão.   Faça uma farofa ou pirão com aveia, gergelim e castanha. Para farofa, doure apenas na mesma frigideira do camarão, aproveitando o alecrim, o sal marinho, o alho e o limão usados no tempero do camarão. Para o pirão, acrescente líquido temperado à farofa e cozinhe a aveia mexendo e pensando no poder de transformação experimentado pela preparação dos alimentos. Neste dia, só se deve comer alimentos preparados por suas próprias mãos.   Misture a aveia e o camarão. Quando as abóboras estiverem macias, recheá-las com a mistura e voltar ao forno para gratinar.  
Coma com azeite.  
Este alimento possui alto poder de regeneração e nutrição. Indicado para momentos de fortalecimento, nos quais é preciso alimentar os sonhos e colocar as mãos na massa para que eles possam se tornar realidade.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

A rezadeira

Preconceito contra funk e rap. Acabei formando um após escutar algumas preciosidades  como "pentada violenta", "chá de cu" ou então "tudo pelo baseado eu faço" nas músicas que os jovens aqui do Rio gostam de ouvir ou de dançar.  Então basta escutar uma cadência meio batida e uma letra meio falada que já torço o nariz. Respeito o direito de minha filha e os demais jovens escutarem o que quiserem, mas não omito a minha opinião  e sempre torci, em segredo, que existisse um lugar em que estes mesmos jovens convivessem  com algo que não fosse apenas apologia de drogas ou sexo. Mas preconceito é ignorância. E eu não escapei dela.
Foi numa tentativa de retribuir a partilha de preferências musicais, já que a caçula acabou ficando fã de Ira e até de Legião Urbana, que acabei escutando uma música que ela me apresentou dizendo que chorava muito pensando em mim. Véia, do Projota, contava a história de um menino que perdeu mãe. Como esperado, não gostei da música. Credo! A comparação com a mãe morta me deu até arrepios. Mas não pude deixar de lembrar que quando eu também era só filha, o medo de perder a mãe era uma uma de minhas assombrações. Foi assim que eu escutei mais uma e mais outra e outra. Algumas horas depois, eu estava com o refrão de uma das músicas na cabeça e com uma dúvida sobre alguma coisa na letra que não tinha entendido direito. Como sempre, consultei o oráculo.  Google me confirmou que a "rezadeira" era a mãe do "menino", coloquei a música para tocar e acompanhei a letra. Desta vez, fui eu quem me emocionei.
http://grooveshark.com/s/A+Rezadeira/3xFrHe?src=5
Desde então, "deixa o menino jogar que é sexta-feira, pra proteger é que existe a rezadeira" tem sido cantarolado em minha cabeça noite e dia. Esta aproximação emocional com a história de uma mãe que pode salvar seu filho, me remeteu a dor das milhares de mães que perdem seus filhos, a maioria jovens negros, para a violência urbana. Eu mesma fui testemunha da dor da mãe de Anderson, sindicalista negro, cujo assassinato continua sem solução desde 2006. Independente da inocência ou crime dos jovens assassinados, suas mães são sempre vítimas, no mínimo, de uma dor devastadora. Esta dor já tinha sido apontada por Chico na maravilhosa "meu guri". Mas agora eu não estava ouvindo um poeta intectualizado de classe média tentando se aproximar de uma outra realidade - o que só mostra que os verdadeiros artistas tem o dom da transcendencia. O "eu vi", que abre a maior parte dos versos em "A Rezadeira", explica o lugar de onde Projota fala.
Pesquisei um pouco mais e li melhor as letras de Véia, D.Lourdes, Guerreira e Projeção para Elas. Fui arrebatada. O respeito à mulher em todos os seus papeis jogou por terra o preconceito de que eu já havia formado de que no funk e no rap, as mulheres ocupavam um papel exclusivamente sexual. A mulher de Projota é inteira e ama. De todas as formas. Qual o amor maior do que uma mãe que consegue só com a força da sua oração ressucitar seu filho? Ou qual mãe não sonha com poder fazer isso, caso se depare com um momento destes?
Mas não fui ganha apenas pela mensagem, pela forma também. Pelas imagens. Em poucas palavras, uma história foi contada com cheiro e cor. Palavras escolhidas com precisão para passar a emoção.  Eu me senti diante de um tesouro.  E, hoje, só posso ficar feliz, que no meio de tanto lixo, minha filha tenha me mostrado uma flor tão rara.
O que só confirma minha teoria de que devemos deixar os jovens produzirem sem tolhi-los, a liberdade de criação é a matéria prima da qual a verdadeira arte se alimenta.

A Rezadeira
Projota

Suas pernas foram feitas pra correr, neguim, então vai
Degola o estirante, embola na rabiola e traz
Seus olhos foram feitos pra enxergar,
Toda vez que uma mina passar
Sua boca foi feita pra xavecar, então vai e traz
Porque eu já vi sua situação, suas panela no fogão,
Sua chinela sem cordão, sua favela seu colchão,
Sua sequela, podridão, seu caderno sem lição,
Sua rabeira nos busão, seu roubo seu ganha-pão,
Sua fuga com seus irmãos, sua comemoração,
Vi seu bute bonitão, seu futebol de salão
Sua garra pela função, sua marra, sua perdição
E até chorei com a sua primeira detenção.

Vagabundo vai correr, vai brincar
Vai chover, vai sujar
Dexa o menino jogar, que é sexta feira
Pra proteger é que existe a rezadera
A rezadeira vai rezar, rezadeira, vai rezar, rezadeira...

Mas essas grade num te prendem, né neguim, vem, volta pra "nóis"
Dexa os problema de lado, compra uma moto veloz
Só que pra ter moto veloz, né, tem que ter um dim
E foi assim, foi assim que eu vi seu fim
Porque eu vi sua vontade, eu vi seu plano
Eu vi você, vi seus mano
Eu vi o disfarce e vi seu cano
E vi você atirando
Eu vi correndo, vi trocando,
Se escondendo, se assustando
Eu vi ali, te vi orando
E vi o seu peito sangrando
Eu vi seus amigo saindo, seus amigo te deixando
Sua coragem se esvaindo, e o seu olho fechando
Eu vi seu choro, vi seu medo por dentro
Te dominando e vi meia dúzia de anjos te buscando.

Vagabundo vai correr, vai brincar
Vai chover, vai sujar
Dexa o menino jogar, que é sexta feira
Pra proteger é que existe a rezadera
A rezadeira vai rezar, rezadeira, vai rezar, rezadeira...

E ela teve que te ver neguim, sangrando no chão
Ela tentou te socorrer, mas um pronto socorro não
Ela atravessou o isolamento, sem caô
Eu vi quando ela empurrou um policial e ajoelhou
Eu vi também ela chorando no seu sangue
Gritando um tal senhor
Cantando alto e claro aquele bonito louvor
Encarando seu espírito ao lado do seu corpo, em pé
Implorando pra que se arrependa se puder
E eu vi o seu corpo tremendo com o seu coração parado
E uma lágrima escorrendo com o seu olho fechado
Eu vi o povo todo olhando estasiado
E vi cada uma das câmeras pifando pro segredo ser guardado
A rezadeira parou de cantar, e pra você sorriu
Os anjos voltaram pro céu, e então o seu olho se abriu
E eu chorei testemunhando com vocês
Quando eu vi sua mãe te dando a luz pela segunda vez