terça-feira, 27 de dezembro de 2011

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

As pessoas na sala de jantar

Obrigada pelas pessoas. Obrigada por ele que no início do ano eu tive muito medo de perder. Obrigada pelos vislumbres de paz nos olhos da caçula e por sentir que ela está num caminho razoável para começar a dar os seus próprios passos . Obrigada pela Sarinha. Doce anjo de todos nós. Por ela eu não agradeço apenas, também peço. Peço proteção, saúde e vida longa. É claro que eu poderia agradecer por um milhão de outras coisas e por cada pessoa em particular. Poderia agradecer, também, pelo jantar. E agradeço. Agradeço por tudo que nos une. Resumindo, agradeço pelas pessoas na sala de jantar estarem mais ocupadas em nascer.

Eu quis cantar
Minha canção iluminada de sol

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Desejo de namorar

I was alone, I took a ride,
I didn't know what I would find there.
Another road where maybe I
Could see another kind of mind there.
Ooh then I suddenly see you...

Como aquelas imagens que se fixaram na minha memória poética, o meu conceito de felicidade acabou ficando muito próximo de uma mesa de café da manhã de domingo com uma mulher, um homem, crianças e cachorro. Uma família Doriana.

Eu tomaria a decisão de ser assim, senão sempre, bastante vezes. Então eu namoraria você que brincou comigo disso. E levaria a brincadeira a sério. As vezes, colocaria flores na mesa do café. Não sempre, pra não acostumar. Eu aprenderia a te conhecer e a ter cada vez menos medo de você. Iria, também, aos poucos, aprendendo a não ter medo de sua opinião sobre mim. E aprenderia a arriscar e não deixar de viver isso por medo de perder. Não pensaria em atropelamentos ou acidentes com vocês. Ou, então, deixaria estes pensamentos num cantinho sob controle. E até enfrentaria o medo de magoar alguns amigos queridos. Eu iria aprender um jeito de te beijar e de fazer tudo o mais que dá vontade depois que o beijo começa. E para completar, eu iria pegar a estrada com você - pelo menos, uma parte delas. Mas isso, se você se deixar entrar na minha vida.






quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

É festa!

Pessoal,

Chegou dezembro! O sol já está dando as caras e as festas pipocando por aí. Estou escrevendo para chamar vocês para mais uma comemoração. Meu aniversário junto com mais duas queridas, a Lelê e a Deb.
Vamos fechar o Gibeer no sábado, dia 10, e vocês serão super benvindos para degustar um chop delicioso artesanal e ouvir e dançar um bom rock n´roll. O pub conta ainda com uma carta de cervejas importadas que vale a pena fuchicar. Coloquei, abaixo, alguns links para vocês irem se animando. O esquema da noite será cada um com sua cartela.

O endereço é Rua Lopes Quintas 158, Jardim Botânico.
À partir das 21:00.


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Gordice

Sei que estou extremamente sumida mas, no fundo, isso acaba sendo um bom sinal. É só dar umas relidas nos anos anteriores e perceber que aqui muito procuro quando estou relativamente abalada com algo.
A questão é que eu não estou só sumida virtualmente, mas sim na vida em geral. O trabalho anda frenético. Pra ter noção, só entre o "abrir a tela" até este pedaço de segundo parágrafo, já fui interrompida 3 vezes. Nem no título eu pensei ainda. Voltando ao foco do post, hoje eu vim fazer uma gordice. Porque nesse tempo que eu ando sumida, não contente de ter abolido a academia da minha rotina original, ainda inclui sessão pipoca todo dia no trabalho, pontualmente as 15h. E a gordice que vim fazer é comentar de um sabor novo de pipoca de microondas: Manteiga de Cinema.

Putaqueopariu, Yoki, caralho! Como que vocês conseguiram inventar uma pipoca tão boa?
Na boa, a pipoca é incrível. Ela chega a ser bem mais amarelada, e a mão fica daquele jeito de cinema mesmo.

O foda é perceber que mal cheguei ao trabalho, acabei de tomar meu Ninho matinal e já estou pensando na pipoca de 3 da tarde.
É muita gordice pra uma pessoa só.
Ah! O Título.

No mais, confesso que tô meio ausente dos blogs amigos, mas vez ou outra dou uma corrida pra ler. Perdi o concurso do ex-vaca, e fiquei realmente sentida.

Bom, chegou um daqueles e-mails vermelhinhos, e isso não é um bom sinal. Hora de ir!

beeijo.
h'[m]

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

- XÔ!!!

Once upon a time, eu já não soube dar o que eu queria receber: liberdade. Eu não aceitava cobranças mas quando a mosca verde radiotiva do ciúmes me picava, eu exigia. Podia me calar, mas minhas exigências internas só aumentavam. Por amor, não aceitei não ser capaz de ser generosa e de não ser capaz de dar ao outro a liberdade que eu tanto queria para mim. Parti para tentar ser alguém melhor e, é claro, para conhecer o resto do mundo.

Hoje, sou melhor. Sobrevivi a um marido extemamente inseguro, possessivo, ciumento e vil. E, se não gostava de cobranças antes, passei a ter trauma delas.
Descobri que o ciumento é, no fundo, o traidor: é aquele que, incapaz de ser fiel nos sentimentos e pensamentos, se tortura com fantasias de traição e, por isso, projeta no outro este desejo que é seu.
Descobri também que gosto de exclusividade, de dar e receber, por puro fetiche...é muito fetiche nisso...fazer o que? E nem ligo se for mentira, basta ser convincente o bastante para eu acreditar;-) E que é assim que estou disposta a fazer os meus acordos de convivência a dois.
Hoje, o ciúmes que resta vem apenas do medo. Medo de perder. Mas não sou burra para não saber que ninguem pode perder aquilo que não tem e ninguém pode ter uma outra pessoa.
Então estamos chegando no ponto. Comecei toda esta lenga-lenga para dizer que quanto mais eu vivo, mais eu chego à conclusão que demonstrar ciúmes é uma tremenda falta de respeito. E isto vale para tudo! Vale para namorados, parentes e amigos e amigas.
Ciúmes não é fofo, não é sinal que a pessoa gosta de você ou sinal de atenção. É sinal de controle, de que a pessoa não aceita que você tenha uma existência independente. Que não a coloque em prioridade.
Foi assim que cheguei a uma conclusão: Ciúmes só é aceitável até os 18 anos. Virar adulto é deixar de ver o mundo girando ao redor do seu próprio umbigo.
E aí eu estava em casa comentando e brincando com a caçula que tinha umas amigas aí brigando pela minha atenção e ela prontamente respondeu:
- Mas também, quem não vai querer ser amiga de alguém que engole sapo, leva desaforo pra casa e ainda escuta os problemas dos outros?!

A Caçula é ciumenta. OK. Ainda tem 14. E ela pode até ter razão em algumas coisas pois fujo de um barraco deseperadamente, agora...tem uma coisa que fujo ainda mais do que de barraco, é de cabresto. Então para estas amigas que estão me atazanando a paciência, eu declaro: Não quero amizades ciumentas!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Onde está a Mulher Asterisco?

Depois do sumiço da Hello Motta, foi a O+* que parou de dar a cara por estas bandas. Mas a charada foi mais do que que resolvida pelo Autor, que declarou em alto e bom som que o blog já não era o preferido das moçoilas que agora estavam preferindo dar pinta lá no Facebook.

Dizem que, no último domingo, viram uma asterisca toda serelepe bem vermelhinha lá no Engenhão... Então quem achar a musa na foteenho aí em baixo, tem direito a tomar um gole de chá na caneca exclusiva com o desenho da finada vaca jersey.... mas um golinho só!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Onde andará Hello Motta?

O primeiro a perguntar foi o Fred.
Envergonhada por não saber a resposta, O+*, mudou de assunto.
Depois, foi investigar. Descobriu que ela estava no same. Assuntou. A diva soltava fumaça pelo nariz. De nada tinha adiantado fazer gols de bicicleta se o Cruzeiro de Rondonia continuava o pior time do Brasil. Depois, perdeu novamente contato com a craque.
As horrorosas e mesquinhas plenas continuam circulando arrebitadas por aí, mas a nossa querida Hellomotta nunca mais foi vista nas terras de blogsville.
Onde andará Hellomotta? A pergunta que não quer calar

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Um conto chinês

Um casal de chineses num barco a remo conversa - pelo que se pode entender pelo brilho nos olhos de ambos, sobre amor. Quando o homem se vira para pegar um pequeno embrulho com um par de alianças, uma vaca cai do céu em cima da noiva e a mata. Assim mesmo, de forma absurda, que começa um conto chinês, filme argentino que assisti no domingo. Começo a pensar que o tal conto chinês é uma mistura de nonsense com "shit happens" mas continuo a ver o filme que agora se passa na Argentina, com o mais que charmoso Ricardo Darin no papel de um sistemático, obsessivo e solitário dono de uma loja de ferragens.

Aqui tenho que parar para fazer um grande parênteses e constatar que Ricardo Darín é meu ator favorito, e não só pelos seus belos olhos.
Para quem não lembra, segue uma listinha de filmes com ele, pelo menos, dos que já vi:

O filho da Noiva
















Abutres:


















Clube da Lua:



















E o irreparavel, o Segredo Dos Seus Olhos:




















Fechando o parênteses e retomando o filme, Roberto, um veterano da guerra das Malvinas segue uma rotina inabalável cultuando seus mortos, evitando as pessoas e colecionando histórias absurdas de jornais, até que um dia, enquanto tinha um dos seus momentos habituais de distração, assistindo pousos e decolagens de aviões, um chinês é jogado de um taxi ao seu lado.
O Chinês, Jun, não fala uma palavra de espanhol e acabou de ser roubado. Está à procura de um endereço tatuado no braço. Roberto o leva até lá. Descobrem que neste endereço já morou um chinês, mas não se tem mais notícias dele. Está montada a confusão. Roberto não quer a companhia de ninguém, mas não consegue se livrar do chinês. Não há nenhum idioma em comum entre os dois. Como, nestas circunstâncias tão adversas, o encontro se tornou possível?
No meio daquela rotina previsivel, Roberto tinha alimentado um desejo pensando estar alimentando uma desilusão. Foi no encontro do desejo de uma nova vida por Jun e de um sentido para a vida por Roberto, que foi possível que o desejo dos dois se realizasse pelas mãos do outro.

Um Conto Chinês me fez rir e me fez chorar. Adoro ir ao cinema, comer pipoca e ser feliz assim! 1 milhão de espectadores argentinos concordam comigo.

E é mesmo melhor falar em espanhol sobre o filme, por isso cou reproduzir a precisa microcrítica de Gonzalo Regueros, de http://www.qbinet.es/2011/07/04/un-cuento-chino/

Si lo que quieres ver es una peli de acción, una comedia romántica o una de terror no vayas a ver “Un cuento chino

Pero si quieres que te cuenten una bonita historia, mitad cuento, mitad real, que te mantenga pegado a tu asiento disfrutando de cada imagen y de cada diálogo, esta es tu película.

Una cinta ligera y entretenida o una parábola profunda sobre el miedo, las incertidumbres, las causalidades y casualidades de la vida, que en ambos casos te hace paladear la historia unos segundos antes de levantarte de la butaca cuando ha terminado la cinta.

Ricardo Darín es un mago de la interpretación que te hace compartir sus emociones. El tio que todos nos gustaría tener para compartir un mate y una conversación.

¿La historia?

Va de un argentino y un chino. El primero ayuda al segundo y como suele suceder, acaba recibiendo más que lo que da.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Sweet Fifteen

Não tive festa de 15 anos. Troquei por dois meses na Europa de mochila, tenis, jeans rasgados e um passe de trem aos 20. Nem de longe me arrependo. Apesar de não ser alguém que conte muitas histórias, nem tire muitas fotos, as aventuras e fases - muitas - que vivi acabaram imprimindo em mim algo do que hoje sou. Não sei dizer bem o que cada uma deixou, porque também não sou de fazer inventários, só sei que as experiências foram sendo esquecidas nelas mesmas para se juntar a outras dando lugar a uma forma de ver o mundo um pouco mais ampla. E estes horizontes se ampliaram tanto que hoje o que me pareceria ultra cafona aos 15, me parece fofo.

A Caçula vai fazer 15 em maio do ano que vem e na semana passada comecei a considerar sua festa. Um orçamentozinho apertado torna as coisas mais divertidas, pois decidi compensar com criatividade o que falta em cifrão. Isto significa que vou começar a colocar em prática meus dotes para fazer eu mesma muitas das coisas que costumam ser contratadas hauhauhauha...isso enquanto a empolgação durar. Ela já andou se irritando comigo porque a festa é dela e eu tenho que parar de querer decidir as coisas.....só porque eu já estava querendo fazer uma festa de São João para facilitar os cortes orçamentários . Mas ela não levou fé que eu conseguiria fazer uma Festa de São João em Tons de Verde Água Hype Chic Que Virasse Tendência... humpf ....enfim...tive que ceder. O plano de vôo atual é um baile de máscaras. E isto vai encarecer um pouco mais a festa, porque o regabofe não poderá mais ser os escondidinhos e caldinhos de feijão ultradeliciososos da vovó asterisco. Neste fim de semana vamos assistir o Fantasma da Ópera, em DVD mesmo, para nos inspirarmos no vestido da debutante, porque uma coisa eu ainda não abro mão, se é para usar longo, que seja um personagem, porque ainda não consigo ver um vestido de 15 anos que eu não ache o cúmulo da cafonice.

A garnde inflexão é que na minha juventude eu não podia compreender o quanto é importante para uma mulher se permitir ser a mais linda e o centro das atenções simplesmente por existir. Espero que eu esteja economizando alguns anos de analise da minha filha com esta festa. E sobre o fato da festa ser dela e não minha, já deixei bem claro que não é bem assim. Afinal, quem estará festejando e partilhando com o mundo a felicidade de ter ela como filha sou eu!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Precedente perigoso


A defesa do americano Troy Davis, que se tornou um símbolo da luta contra a pena de morte, apresentou nesta quarta-feira (21) em um tribunal do Estado da Geórgia dois últimos recursos para que sua execução seja suspensa. Se não obtiver sucesso, ele deverá ser executado hoje.

Troy Davis apresentou um pedido de habeas corpus diante do tribunal superior do condado de Butts (sudeste do Estado) e também "pede respeitosamente que este tribunal conceda um sursis à execução de sua pena de morte", indica um documento da justiça do qual a agência de notícias France Presse conseguiu uma cópia.

Condenado à morte em 1991 pelo assassinato de um policial branco, Troy Davis, 42, deve receber a injeção letal às 19h (20h em Brasília) na penitenciária de Jackson.

Davis "recusa a constitucionalidade de sua condenação à pena de morte fundando-se em novas provas", acrescenta o documento entregue à justiça pelo advogado de defesa, Brian Kammer - que ressalta que tem condições de apresentar prova de que o médico legista que realizou a autópsia do corpo do policial morto deu falso testemunho.

O relatório balístico do legista foi um dos principais documentos nos quais a Justiça se baseou para pronunciar sua sentença.

Nesta terça-feira (20), o comitê de indultos da Geórgia havia rejeitado um recurso apresentado pelos advogados do condenado, que já escapou de três execuções graças a diversos recursos judiciais.

"Protótipo"

Apresentado por seus defensores como o protótipo do negro condenado injustamente, Troy Davis recebeu o apoio de personalidades como o ex-presidente americano Jimmy Carter, a atriz Susan Sarandon e centenas de manifestações pedindo o indulto foram realizadas em todo o mundo.

Durante o processo, nove testemunhas do assassinato cometido em 1989 indicaram Troy Davis como o autor do tiro, mas a arma do crime nunca foi encontrada e nenhuma prova digital ou traço de DNA foi revelado. Mais tarde, sete testemunhas se retrataram, mas isso não foi suficiente para convencer a justiça de rever seu veredicto.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Bala de troco?

O Jornal O Globo publicou uma matéria que mostra o imposto nosso de cada dia!
É o próprio governo praticando a agiotagem.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Preconceito nosso de cada dia

Existem dois tipos de preconceito. O das pessoas, classes, sistemas, instituições que usam o preconceito como forma de oprimir e dominar o outro. E o das pessoas comuns que introjetam estes valores sem perceber. Vou falar um pouco deste último.

De família gaúcha pouco acostumada ao convívio com negros até a geração passada, nunca deixei de ver um esgar, mesmo que involuntário, quando minha mãe comentava sobre alguma "pessoa de cor". E isto vale também para homossexuais.

Nunca aprovei e sempre lutei contra a assimilação destes valores... e já falhei nisso também. O que me consola é a convicção que este tipo de preconceito pode ser vencido com o amor e com o convívio. E é o que estou vendo acontecer...

A irmã de minha mãe veio do Sul para acompanhá-la numa cirurgia. Alguns programinhas domésticos em torno da TV foram inevitáveis. No fim de semana, a Caçula alugou um DVD que estava doida para ver, Patrick, a história de um casal gay que adota um adolescente problemático de 15 anos ao invés de um fofo bebê de 1,5. A história é bem mais que isso. Mas o importante é que apesar de um constrangimento inicial com as cenas de amor entre dois homens, tanto minha mãe, quanto minha tia adoraram o filme.
Ontem, quando cheguei em casa, encontrei a família toda reunida assistindo o Miss Universo e torcendo ardentemente pela vitória a Miss Angola, Leila Lopes, que era, indiscutivelmente, a mais bonita.
Minha vó nunca teria imaginado um dia assim...eu mesma, não reconheci a imagem que tinha de minha mãe e de minha tia. Teorizo aqui, então, que elas são capazes de mudar porque, para elas, o preconceito não é filho do ódio, apenas da obediencia.

Já o outro tipo de preconceito, o daqueles que ganham com isso, este não tem redenção.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

só os amores não realizados podem ser românticos

Esta frase de Maria Elena, a Barcelona de Vicky e Cristina, resume a vida.

Qual a sina de uma menina cujo primeiro filme foi o mais romântico filme de amor já feito, e com o rapaz mais bonito que já existiu?


















Não adiantaria depois o namorado dizer que ela não entendia que a vida não era um filme.
As emoções da ficção eram as mais reais, só nela sabia encontrar o dilaceramento e desepero do querer alguém.

O que quer uma mulher, se perguntou Freud e outros especialistas na alma humana.

Se perguntam isso apenas por que a língua é machista e do erro do gramático, que não classificou desejar como verbo intransitivo, objetos se estabeleceram pelo caminho. Precisaria ser mulher para saber que nada pode caber no desejo feminino.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Desamarrada

Sabe quando você tem a sensação que tem algo errado com a sua pessoa?
Sabe quando você imagina muitas coisas que você deveria estar fazendo, mas não faz? Não é que você não queira fazer. Você simplesmente não faz. E nem sabe o porque.
Sabe quando o querer e o desejar pegam ruas diferentes?
Sabe quando existe um cipó invisivel prendendo os seus movimentos, o seu cérebro ou o seu coração, impedindo você de fazer aquilo que você tem que fazer?
Sabe quando você se sente afundando no visgo, na rotina?
Sabe quando você começa a ter uma imagem de você parecida com a droga de vida que vc se permite ter?

Pois é ...eu não sei mais!

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Efeito Orloff

Uma das coisas que pessoas do século passado conhecem é a origem do chamado "Efeito Orloff". Esta expressão surgiu em função de um bordão de uma propaganda da vodka Orloff na televisão, na qual se mostravam situações de ressaca terríveis e a frase "eu sou você amanhã" servia para demontrar que se deveria escolher bem o que se bebe hoje para não sofrer no dia seguinte. Mas esta frase ultrapassou as fronteiras da propaganda e ganhou a boca do povo, tanto que, o chamado "Efeito Orloff" passou a ser utilizado até mesmo no "economês" para falar de situações de crise que acontecem num país e que se não fossem evitadas se repetiriam no Brasil. Fato é que todos, em uma ou outra situação, usamos a expressão "eu sou você amanhã".

Segue então o vídeo que me fez lembrar esta frase hoje pela manhã XD


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Não existe amor em SP

Entrevista que dá um nó na orelha com Criolo from Alexandre on Vimeo.



A história que me contaram é que, em seu sumiço, a Mulher Asterisco passou por São Paulo, mas descobriu que não existe amor por lá e foi embora. Em menos de duas horas na cidade, a bagaça paulistana aproveitou um momento de distração da super-heroína com uma pizza com borda de gergelim para arrombar seu carro novo e sem alarme ( afinal, no Rio de Janeiro, ela não precisa disso) e roubarem suas 3 malas e seu estepe. Todas as roupas de griffe, maquiagens, rayban, chapinha, laptop e as semi-joias da diva selecionados com esmero para bombar na cena da big city foram vendidos por 50 real para a tia do delinquente viciado em crack que arrebentou a porta do seu Volvo*. Por outro lado, como boa cidadã, a dita cuja, que tenta ser uma boa alma, devolveu para nossa protagonista sua agenda, o manual e as chaves reservas do valente carrinho. Decepcionada com a recepção, ela só queria saber de pegar o rodoanel e ver esta terra sem amor pelo retrovisor.
Este foi o motivo pelo qual nossa musa furou com Edu e Paulo. Também foi um dos motivos de ter sumido do blog, afinal, fazer compritchas para repor o enxoval é um trabalho muito árduo e demorado.
Da próxima vez que for a São Paulo, a diva promete fazer um dueto com o mega fofo do Criolo.



* Volvo é o apelido do Celta;

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Coisas fofas

E não é que eu estou tendo um surto de fofura inesperado?

E de todas as coisas que ando gostando, são das fofices que gosto mais. Então, andei me dando uns presentinhos , dentre eles, perfuminhos...suavezinhos. E também, brincos ... pequenininhos... Andei até baixando umas musiquinhas...fofinhas.

Tenho andado meio enebriada pela fofa total da caçula e nossos momentos cada vez mais..... fofos. E encantada pelos novos bebês na família com seus cheirinhos gostosos e suas peles macias.

Fato é que estou me sentindo assim, meio... cupcake.

Então nem vem que não tem, que se não for um mega fofo, gostoso e gente boa, não namoro com você ;-)
















(Crédito: quadro de Will Cotton que inspirou a capa do CD Teenage Dream de Kate Perry)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Pra salvar meu coração

Aguentem um pouquinho a introdução e assistam pelo menos o clipe de 'oração' e depois me respondam se não dá vontade de sair dançando por aí?

Oração e Paródias - Emerson Martins Video Blog 2011 from Emerson Martins on Vimeo.



Beijo

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Saudades

Inaugurei mais um novo momento. Longo. E eu não gosto de ser constante.
Hoje, quase não tenho saudades de mim. Mas estou com saudades de vocês. Apareçam, mesmo que eu não mereça.

Marcelo Jeneci - Pra Sonhar - Ao vivo no SESC Vila Mariana from Recheio Agência Conteúdo on Vimeo.



Um olho lá longe, no futuro. O outro no improviso, assumindo e aceitando o risco. Mas, em resumo, muita boniteza.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Notícias populares

Tava vasculhando o Globo pra achar a justificativa de 1h de trânsito no Rebouças essa manhã, daí clica aqui, clica ali, caí na matéria que compartilho abaixo com vocês:
Will Smith ensaia volta ao mundo da música
"Will Smith iniciou a carreira como ator, tornou-se um rapper de sucesso, virou um ator ainda mais bem-sucedido e, agora, parece estar balançando o pêndulo novamente de volta aos estúdios musicais. De acordo com o produtor La Mar Edwards, o astro de Hollywood estaria preparando um novo álbum.(...)"

Bla-bla-blá, bla-bla-blá...
E pergunta que não quer calar é: Alguém reparou o tamanho do pé desse cara?
PutaqueOpariu!

h'[m]

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Revivendo a universitária

Ontem foi meu primeio dia de aula na UFF. Depois de ter perdido 1h pra esperar o coordenador pro ditocujo me entregar um formulário quando na verdade ele deveria preencher o formulário co-mi-go, lá fui eu esperar minha aula. Vinte e cinco minutos de atraso e lá vamos nós. Professor estranho abre a porta e todos os coleguinhas do corredor entram. Não contente por prestar atenção na aula - um verdadeiro milagre - eu ainda fiz anotações, lembretes, agenda e até iniciei abrir uma pasta - sou dessas que esquece o caderno e anota no net - no desktop. No final da aula, o professor me solta um comentário que a sua intensão não é reprovar ninguém, já que a matéria é eletiva, e eu me pergunto "como assim eletiva no primeiro período?!". PutaqueOpariu! Eu estava na sala errada!
Vinte minutos depois e a aula está encerrada. Corro para procurar a minha sala e, todas vazias. Volto à sala do coordenador, pouco puta, e percebo um aglomerado de pessoas na porta da faculdade. "PutaqueOpariu! - exclamo de novo - tá todo mundo no trote!".
Eu, que acho trote uma coisa patética, me preguei dois trotes no mesmo dia:
1- Fui ao primeiro dia de aula.
2- Assisti a aula errada.
Tá aí mais um exemplo de que todo castigo pra corno é pouco.

Voltei pro Rio e eu tinha que salvar o meu dia. Liguei pras amigues e chamei pra um chopp. Toparam. Choppinho, bolinho de bacalhau, carne de sol e aipim. Minha última noite antes do retorno à dieta foi super bem aproveitada. Pra finalizar com chave de ouro, hoje o almoço seria no Porcão*, mas acabou sendo na Parmê*. Minha nutricionista, com um misto de medo e vergonha alheia, se escondeu quando fui me pesar hoje. Okaaay!
Em busca dos 70 kilos perdidos - já que eu já não tô na casa dos setenta-e-muitos faz duas semanas.

O dia foi resumido em comida, pesagem, passagem e TPM alheia, mas vâmo que vâmo!

h'[m]

*Notas para os não-cariocas:
Porcão= uma das melhores churrascarias do RJ.
Parmê=uma das mais famosas pizzarias do RJ.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Chefe pra quê?

Bem como falei no post anterior, eu sou o tipo de pessoa que costuma não agredir pra se defender. E isso tá junto com o pensamento de sempre elogiar mais do que criticar, e sempre acreditar mais do que se estressar. Porque a vida é assim: o pensamento atrai.
Eu, na contagem regressiva pras férias, dei um gás sensacional no trabalho. A intensão é conseguir sair de férias psicologicamente e, principalmente, não prejudicar os colegas que ficam. Resultado: na terça e quarta eu conclui uma avalanche de pedidos.
Mas aí, como nem todo mundo tem a mesma filosofia que eu, sou interrompida do meu super cachorro quente matinal, pra ir a sala do chefe.
Chegando lá ele - aquele do bilhetinho - me faz a seguinte pergunta: "Você faz sempre pedido em bloco, assim? Porque tem pedido demais. Não dá pra fazer de uma maneira mais spot?".
Minha vontade era de soltar um monte de indiretas mas, tentando preservar o bom relacionamento, utilizei aquelas frases típicas de administrador, e me retirei.

A pergunta que fica é: se eu já fiz pedido demais essa semana, então não preciso fazer mais? Posso ir embora, então?
Eu só não vou me estressar, porque hoje é sexta. Mas que chefe tem esse dom incrível de desmotivar a equipe, isso tem!


Mas enfim, vamos falar de coisa boa?
E o Flamengo, hein?


21 dias.

h'[m]

terça-feira, 26 de julho de 2011

O barulho do Silêncio

Quem me conhece sabe que eu não sou de me estressar. Não me irrito por pouco, não bato-boca e muito menos rebato uma agressão, seja ela fisica ou verbal.
Ontem foi um dia pra praticar o silêncio. Que tenha sido como forma de me proteger de um comentário mal empregado ou simplesmente para absorver o pensamento alheio. Já foi!
Como nunca tive o dom de proferir as melhores palavras pra determinados momentos, opto por praticar o silêncio sempre que me sinto mais vulnerável.
O importante é que o silêncio que me corrói, de certa forma, ajuda a cicatrizar e abafar qualquer avalanche de informações desnecessárias.

E foi assim que chegamos ao primeiro mês de felicidade, compartilhamento e muito aprendizando.
E que continue assim, do jeito que eu mais gosto: Intenso.

h'[m]

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Se ainda fossem de gelatina...

Eu sempre achei que não era ciumenta até que, né? Acontece!

Você tá lá, no meio da night, um cara chega na sua namorada! Você dá uma torcida de nariz, e segue em frente.
Uma menina seca sua namorada enquanto ela dança pra você. Você dá uma gargalhada a la Paola Bracho e vive a vida.
Mas aí lê um comentário de algo do passado e ploft: você vira o bicho! Quem? Por que? Quando? Como?

Detesto sentir ciúme. Detesto. É algo que me corrói tanto, mas tanto, que chega a me irritar. Acho que me incomoda saber que tô com ciúme, do que o ciúme em si.
Ciúme pra que, Fernanda? Pra que, me diz? Você nem sabe o que ou como é seu inimigo, e se realmente é um inimigo. Mas você já tá lá, se ardendo de raiva por dentro, por algo que você nem sabe o que realmente foi. Você é um Loser!
Tô aqui num séria sessão de auto-análise e concentração, tentando me explicar que o que foi, já foi. Eu eu até tô me explicando direitinho, o problema é o me entender.
Vá ser difícil assim na putaqueOpariu, hein!?

h'[m]

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Vai dar Merda

Minha chefe hoje comentou que está super insatisfeita com a equipe. Coincidência ou não, ela falou isso logo após eu receber um comentário/informação tipo "nota de rodapé" sobre um colega de equipe. Eu fico num determinado canto, que as coisas só chegam por aqui via sopro. Eu só ouço o final dos comentários e, graças a sei-lá-quem, eu não sou do tipo que se mete muito na vida dos outros.
Eu ouço uma coisa daqui, outra dali. Algumas coisas saem pelo mesmo jeito que entraram, e outras coisas ainda me chocam. A pessoa quer avacalhar, pode avacalhar. Mas precisa ser tanto, assim, pracaralho?
Na boa, amigues. Vai dar merda lá na frente, e eu não quero nem estar perto quando isso acontecer.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Nenhuma novidade, na verdade

Falar que eu sou daquele tipo de pessoa que se joga de cabeça na paixão, não seria surpresa pra ninguém. E falar que eu tô namorando e extremamente apaixonada, também não. A novidade é que eu tenho acordado cada dia mais apaixonada.Quando eu durmo com ela e acordo no meio da noite, fico quietinha, observando, imóvel, de algum jeito que eu não a acorde. É uma maneira de sentir que ela tá ali, no meu ombro, e ter aquela sensação super gostosa de que não vai sair nunca mais.

A gente quase não tem conflitos (não lembro de nenhum, pra dizer a verdade) e isso é super arrematador. Ela me surpreende a cada dia, como ontem, que fez um jantar supergostosinho antes da sessão cinema com Le Petit Nicolas, acompanhado de uma supertravessa de morangos com brigadeiro. Ela cozinha. Eu lavo a louça. Diz ela que é uma divisão superjusta. E quando ela monta aquele sorrisinho de quem tá resmungando, quem sou eu pra questionar?
Minha vida de solteira é linda. Minha vida de apaixonada é fantástica.

Hoje tem encontro de blogayros com presença do paulista. Quem quiser, é só se achegar!
Vamos dividir os sonhos, a felicidade e a vida, babes!

;*
h'[m]

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Campo minado

Nos últimos 50 dias, cerca de 13 explosões aconteceram pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro.

Eu me retenho neste fato e imagino o que aconteceria se estas explosões estivessem sendo causadas por um grupo de traficantes. Quantas vozes já não teriam se levantado gritando "cortem lhes a cabeça"? E eu me pergunto porque estas mesmas vozes não pedem as prisões dos responsáveis pela Light e pela CEG e a cassação imediata das concessões? Porque não se pede a destituição da Aneel que não fiscaliza estas empresas?

Quer dizer então que do poder publico é permitido aceitar atentados que espalham medo e terror na população?

Isso me dá um nó na garganta!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Hellomotta Atualizou seu Relacionamento

Corrigindo a informação anterior, sim, eu tô namorando. Talvez esse seja o motivo do meu sumiço deste canto. Ontem até tentei postar pelo BBerry, mas não consegui. Aliás, esta é mais uma informação: eu não resisti às tentações de minha senhora e meu melhor amigo e aderi à tecnologia do BBM. Estou completamente viciada. Se alguém tiver, é só adicionar meu PIN: 26AC54B7.

Esse final de semana foi beeeem movimentado. Duas festas de família: um churrasco na minha e um jantar na dela. A gente é meio Eduardo e Mônica, lembra? Então... uma semana de namoro e já ir conhecer a família é meio tenso, mas encarei. Os dois foram muito tranquilos. Na minha família, irmã, primos - e agora tia também - sabem. Minha tia foi suuuper tranquila, mas também, ela é a única não-beata da família. Ela deu a maior força pra falar e assumir definitivamente, e falou que, no fundo, todo mundo sabe. Tu jura, né? hahahaha
O intuito do churrasco era confraternizar os "filhos de primos" - considerando a linha do meu pai, tios e os primos deles. Conheci uns "primos" que nunca tinha visto na vida. E eu chegando lá, com a minha namorada. Não é por nada, não... Mas a minha era a mais linda de todas. E eu achei isso lindo!
No jantar do outro lado da poça foi meio tenso. Além de ser um clima bem mais formal, tem o aspecto de eu ser um tanto quanto diferente, mas acho que segurei a barra legal. Exceto pelo fato de soltar um "amor" bem na mesa do café da manhã. Como se soletra ouch?

Como as emoções do final de semana não poderiam acabar as 19h26 de um domingo, às 19h27 recebo um sms dizendo que meu pai tá internado de novo.
O pior é quando a gente descobre o motivo (deixou de tomar o remédio por vontade própria), a gente fica puto, né? Mas pais são foda, depois de certo tempo vão virando filhos! Acalmei, respirei e pedi paciência pra mim e saúde pra ele.
Depois de um dia punk no trabalho, lá vou eu me locomover a um suuuper divertido (#noT) passeio em hospital!


Saindo do forno:
Voltando pra estação de trabalho, um amigo comenta:
- Tá bonita hoje!
- Claro, né, te trouxe comida!
- Não, é sério. Tá toda bonitona. Algum motivo?
- "Estoy enamorada, y este amor me hace grande" - respondi, cantarolando e rindo.

É tão bom receber elogio... Estar apaixonada, então, melhor ainda!

;*
h'[m]

Uma nova mulher

Porque eu sumo do blog vez por outra? Porque não me sinto com obrigação de seguir nenhuma regra em relação ao blog...então, quando não dá inspiração eu não escrevo.

Porque cargas d'agua , então, eu, como todos os outros blogueiros, damos satisfação na volta de um sumiço? Saudades e carinho pelos vizinhos ;-)

Então vamos ao relatório: Estou no meio de mais uma cruzada contra o vício. Mas agora resolvi atacar no atacado (sic!)... É , de uma veizada só, cortei o cigarro, os doces, a gordura, reduzi os carboidratos simples e aumentei as proteinas magras. Mas não satisfeita, comecei exercícios aeróbicos três vezes por semana e ioga duas. Para segurar a onda, medicação contra o cigarro e adesivos de nicotina. A cereja do bolo é a acupuntura contra a ansiedade.

Resultado de uma semana de nova vida: 1,5 k a mais e uma baita duma gripe!

sábado, 25 de junho de 2011

It's not like the movies

Ela é de capricórnio e eu de gêmeos. Ela mora na zona sul. Eu, na zona norte. Ela nasceu em Niterói, eu também. Ela mora sozinha. Eu, com meu pai. Eu sou independente, ela é absurdamente dependente da mãe. Ela frequenta lugares da elite. Eu, boteco com os amigos. Ela é bagunceira, eu também. Ela é extremamente vaidosa, eu não. Ela combina a unha, roupas, bolsa e sapato. Eu coloco uma calça jeans, tenis, uma blusa e uso o bolso. Ela conhece quase toda a Europa e passa as férias esquiando em Aspen. Já eu, sequer saí do país.

Apesar de toda essa diferença, eu adoro estar com ela, mesmo que sempre morra de vergonha. Ela se esforça, nitidamente: começou a frequentar a casa dos meus amigos, que a adoraram. Eu não conheço um amigo dela sequer. Eu a admiro. Ela me acha "cute". Ela é a Mônica. Eu, o Eduardo. Ela, a Lady. Eu, the Tramp.
Mas eu confesso que - apesar de todo esse sentimento de estar bem comigo mesma - essa diferença de estilo de vida me assusta bastante. Filme tem roteiro. Nossa vida, não. Como eu posso descobrir onde fica a tênue borda que separa ficção e realidade?
"O que fazer?", "como deve ser?", não faço a menor idéia. A questão é que comer macarrão sem ela já tá ficando super sem graça.

f'[m]

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Meia noite e meio feriado

Os últimos dias tem sido bem cheios de novidades. Conheci vários restaurantes que sequer tinha ouvido falar. Depois do Feliche e da Capricciosa, que comentei no último e penultimo post, fui no Paxeco na semana passada. Se as coisas continuarem assim, vou me transformar na mais nova especialista em vinhos e programas lights do Rio de Janeiro.
Antes que me perguntem, não, eu não tô namorando!

Na terça fui ver o tão falado "Meia noite em Paris". O filme conta a história de um roteirista e aspirante a escritor que viaja para Paris com sua noiva e os pais dela para passar uns dias de férias. Lá, porém, as manias e idéias de Gil (Owen Wilson) começam a se distanciar de todo o resto da família e amigos. Ele, um cara do tipo eterno sonhador e a família rica e cosmopolita. Ele vive num mundo que mistura realidade e imaginação. E é por esse aspecto que eu recomendo - a quem estiver interessado - não ler a sinopse ou críticas do filme. O que eu achei mais inusitado e divertido foram as surpresas que apareceram ao longo do filme, apesar de eu não conhecer muito da maioria dos personagens. Se você gosta de literatura, pintura e música internacional/ antiga, esse é um filme que precisa ver. Caso contrário, vá para rir! Ou, ainda, para perceber que existe muita gente mais louca que você nesse mundo.
No geral, achei o filme nota 3: Aquele que você até gostou de ver, mas não faz a mínima questão de assistir de novo.

Tô aqui escolhendo outro filme pra ver amanhã* ou domingo. Tô me interessando por esse da Rapariga Loura. Como não vamos mais viajar por problemas amizísticos-financeiros, posso aproveitar e fazer coisas com os amigos e com o affair, também, né? Porque ninguém é de ferro!

Por enquanto é só!
h'[m]


*(sabado a noite é só cineeeema, não tem história pra contaaaaar!)
ps.: cante em ritmo de música de torcida para fazer um pouco mais de sentido.

ps2.: Alguém já ouviu a música nova do Bruno Mars, a tal da Lazy Song? Vi o clipe (e ouvi!) pela primeira vez em Vitória e, desde, então, não consigo parar de cantarolar.

Ps.3: Aliás, Your Body is Wonderland é outra que não me sai da cabeça. Por que será?

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Resumo da Viagem

Quando eu já tava no avião lembrei que eu não tinha avisado meus pais que eu iria viajar. A comissária estava terminando de dizer o famoso "tripulação: preparar para fechar portas" quando mandei o sms para minha mãe: "tô indo para Vitória!", é só.

Chegando em Vitória, me preparei para tomar o primeiro café e a primeira cerveja locais. Dentre as opções principais, Heineken. Chorei!
Estávamos terminando a primeira, quando as meninas chegaram. Comprei mais 7, e tomamos todas juntas, para iniciar, efetivamente, nossa primeira viagem juntas.

Do aeroporto pro hotel deixar as malas e tomar um banho - só eu, pra variar, e partimos em busca de algum lugar pra comer. A Fer (outra!) tem uma amiga de lá, pra quem ela ligava pra pedir dicas. Fomos numa Rua da Lama da vida. Jogamos sinuca, comemos um aperitivo arrumado e fizemos amizade com umas bibas locais. Descobrimos que haveria uma rave na UFES, que seria O rock do dia. De graça? Fomos!
Chegando no lugar super no estilo Eduardo e Mônica: festa estranha com gente esquisita, por todos os lados. Imagine um campus de faculdade gigante, vários microgrupos com vários pequenos eventos em convenção. Era mais ou menos assim.
Chegando, davamos de cara com um touro mecânico, uma barraca de pipoca e música de roça. Mais pra frente, um trance-eletrônico embalava um nevoeiro de maconha. A poucos metros, uma bandinha de rock - bem boa por sinal. Mais ao fundo, já nas alas dos prédios, uma banda de rock-brega no começo, e um pop no corredor seguinte. O bar - que vendia Heineken lata a R$ 2,50 - era simplesmente a sala de professores. Gente, sério: Bizarro!
A gente ria de tudo e de todos. E bebia de tudo e ao todo.
Chegamos no hotel as 3h, para tomar banho - eu - e dormir. As 9h acordei pipocando. Sinto saudade de dormir 6, 8 ou 10 ininterruptas.

No sábado acordamos e fomos ao shopping almoçar: Outback por unanimidade. Dispensa apresentações.
De lá, pegamos um ônibus de linha pra Vila Velha, e fomos passear na Praia da Costa. Já era quase 5h da tarde quando voltamos. Essa noite era a mais esperada, iríamos para a boate biba local.
Depois de muito vâmo-não-vâmo, saímos do hotel quase meia noite. Não conseguimos um lugar pra comer e é isso aí.
A boate, putaqueOpariu, não vale um comentário de blog. Bizarra! A capacidade total deve ser 50 pessoas. Tinha umas 30. Fireworks tocou 2 vezes em menos de 20 minutos, sem sacanagem!
O que nos restou foi beber, dançar e voltar pro hotel.

Domindo seria o dia pra passar pelos pontos turísticos, mas então... a ponte estaiada era nosso trajeto diário, existe outro ponto turístico nesse lugar?
Fomos almoçar no Bar Bacana - uma churrascaria a la carte bem bacana mesmo - e depois passear pela proximidade. Descobrimos que tinha um parque próximo, o Parque Municipal da Pedra da Cebola. Rimos do nome, lógico, mas logo logo ficamos encantadas. Que lugar agradável.
Deitamos todas num pedaço do gramado, tirei um cochilo e rumo ao hotel de novo.

Meu voo foi as 20:20, cheguei no Rio as 21h40. Do aeroporto para uma pizzaria no Jardim Botânico. Um vinho, uma pizza e um beijo. Em casa as 3h. Trabalho as 9h.
Olheiras para que te quero.

Saldo final da viagem: um ralado no cotovelo, um hematoma superdolorido na mão e uma "mordida de tampinha" na coxa.
*resultado da pseudo-cama-de-gato que tomei, logo que chegamos - bêbadas - na UFES.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Um mundo de pensamentos

Passei na academia hoje - pra fofocar - e descobri que já bati a meta da nutricionista, que vence no dia 05/07. Hoje é dia 17/06 e eu estou com 78,5 kg, meio quilo a menos que a meta para a próxima consulta. Agora é só manter ou já partir direto pra meta final: 74kg...

A questão é que eu não segui a dieta nos últimos dias, comi extremamente menos que o normal - falta de fome, mesmo - e agora vivo enjoada e com um gosto esquisito na boca. Algo como se meu estômago estivesse prestes a se decompor.
Já ouvi de todas as pessoas possíveis e imagináveis a piadinha: "Ih! Tá grávida!", e termino a piada com "Só se for do Espírito Santo!".

Falando em Espírito Santo, vou pra Vitória daqui a pouco, viagem comprada a alguns meses, mas definida a apenas algumas horas - porque eu sou dessas que adora cancelar ou reforçar um programa em cima da hora.
Não tenho uma programação certinha ainda, mas o que importa é que vou passar um finde agarrada nas meninas do brejo - principalmente Amandinha e Orquinha! - e vou poder me desligar um pouco do Rio.

O problema é que eu tô amando meus dias no Rio e tudo que eu menos queria é me desvincular daqui.

Falando em aqui, recebi um processo com um bilhetinho do chefe grampeado. É só clicar aqui do lado pra ler!
Fiquei super com uma cara de boba!

Meu pensamento hoje tá super acelerado e, ao mesmo tempo, super centrado em uma pessoa só. É possível?


Sobre o post de ontem, fiz a linha "Preparada Para Arrasar", e pintei as unhas de vermelho. Não sei se teve alguma repercussão "lá fora", mas aqui dentro o pessoal curtiu bastante. No final das contas, eu também!


Ontem fui tomar um vinho no Feliche, um "Caffe" que fica em Ipanema, super aconchegante. A noite foi maravilhosa e merece um post só pra ela, mas que não vai ser hoje, óbvio.

Notação Mental: Nossa! Que mulher!

h'[m]

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A escolha da cor

Porque eu sou dessas que fazem convites casuais e sutis(?).

E hoje eu vou lançar a mulher moderna e arrasar no Maça do Amor.


;*

h'[m]

terça-feira, 14 de junho de 2011

Dupla Personalidade


Tá, eu sei. Eu sempre começo as coisas da maneira errada.
Eu tô numa fase tão boa, mas tão boa... tão completa de mim, repleta de crescimento pessoal e profissional, que o máximo que queria de um relacionamento, seria algo casual.
Mas agora que eu até tive um caso casual, eu só queria que ele não fosse tão casual assim.
Porra, por que tem que ser tão complicado? Que signozinho da porra esse, hein? Geminiana total!
Do jeito que eu sou inconstante, sistemática e afobada, capaz de eu pegar o Personare amanhã e fazer compatibilidade de signos.
Me pergunto: Mas, Fernanda, se decide. Você quer ser mulher ou menina?
Me respondo: Não dá pra ser as duas?

Dá pra entender?

Frase do dia


BOPE R$ 2.260,00 para arriscar a vida; Bombeiros R$ 960,00 para salvar vidas; Professor R$ 728,00 para preparar para a vida; Médicos R$ 1.260,00 para manter a vida. E o Sérgio Cabral? Ganha R$17.000,00 para foder a vida dos outros!!!!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Uma mulher de verdade

A sutil diferença entre se relacionar com uma mulher, e não com uma garota, tá na simplicidade e desembaraço das coisas.

Você acorda numa cama desconhecida, se veste. Ela oferece um café. Você aceita um copo d'água, procura as chaves do carro. Confere seus pertences. Diz "então é isso". Ela te dá um último beijo, leva até a porta, e espera o elevador chegar.
Sem troca de telefone, sem até logo, sem lenga-lenga. Sem programação pro final de semana e sem vontade de ligar ou de querer se esconder. Foi e é apenas o que foi.
Vocês se conheceram ontem, e provavelmente não se verão amanhã.


Mas eu adoro mulher de óculos.
E ela não sai da minha cabeça.

h'[m]

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Cabo de Guerra

Eu acho que não comentei aqui, mas fui convidada, no mês passado, para mudar de setor, aqui na mesma unidade. A função não mudaria muito, apesar de eu considerar a área de planejamento e gestão muito mais complexa e saborosa que a de aquisição em si. Em todo o caso, a briga foi só de gente grande, e lógico, a minha opinião foi a que a menos importou.
Não que eu esteja triste por ter ido ou não pra outra área, o que me desestruturou por esses dias, é uma frase que eu me pego auto propagando todos os dias desde então: "nem todo mundo é seu amigo, Fernanda!". Eu sempre soube que existem pessoas e pessoas na vida. Mas saber que quebrei a cara me deprime, me humilha e me irrita.
Hoje em dia eu mal consigo olhar pra essa pessoa. Tô me sentindo o Pedro, de Insensato Coração. Altamente sabotada por um "brother". Cara, que sensação escrota! Eu fui sabotada por um brother!

Tá foda de digerir!

f'[m]

sábado, 4 de junho de 2011

Porque...


Pra você que me encontrou na pista da The Week e perguntou: "você que é a Hello?", um beijo!





xoxo
h'[m]

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Eu não quero pagar pela blindagem do Palocci

Setembro está chegando e com ele as campanhas salariais. Primeiro ano de Governo Dilma e ela parece ceder um pouco além da conta às pressões do PMDB de um lado e, de outro, a dos próprios derrotados das eleições. O que explicaria, além disso, a nomeação de Reichstul para Conselho de Políticas de Gestão do Governo? Porque Reichstul foi um dos que, no governo FHC, comandou o desmonte da Petrobras e foi o autor da natimorta idéia de trocar o seu nome para PETROBRAX para ficar mais internacionalizada (sic!)
O caso é que Dilma está agora empenhada em evitar que seja feito com Palocci aquilo que aconteceu com Zé Dirceu. Não duvido que o preço que a "oposição" esteja disposta a cobrar para não colocar a cabeça do chefe da Casa Civil numa bandeja seja muito alto. Dilma, até agora, parece disposta a pagar.
Mas quem já viu o que eu já vi, sabe que no fim das contas esta conta acaba no nosso bolso. De forma objetiva, nada de ir se animando com as campanhas saláriais porque recomposição das perdas e aumento real estão fora do cardápio dos que tentam puxar as rédeas do governo. Inflaçãozinha maquiada para fingir que tá tudo bem e dêem-se por satisfeitos!
Mas eu vivo do meu trabalho. Trabalho numa das maiores empresas deste país, numa função de grande responsabilidade e não ganho o suficiente para sustentar minha família. Moro na Cidade que vai ser sede das Olimpiadas e da Copa do Mundo e não consigo pagar um aluguel e muito menos comprar uma casa própria porque os especuladores que querem enriquecer muito em pouco tempo estão fazendo a festa.
Então Sr. Ministro Chefe da Casa Civil, ainda que eu não presuma sua culpa, afinal todos são inocentes até que provem o contrário, não consigo acreditar que, na vida real, seja possível aumentar tanto assim seu patrimônio com trabalho honesto. E mesmo que fosse, não estou nenhum pouco disposta a pagar a conta da sua defesa.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Adote uma solteira!

A campanha é do blog Mulher de 30: Adote uma solteira.
Eu mudaria só a frase para: "Mulher de 30, adote uma solteira!"
hahahah



Será que cola?

h'[m]