terça-feira, 29 de junho de 2010

Por que você não tem namorado?

Tá, eu sei que tenho andado super ausente, que não tenho postado e ando com a leitura dos amigos super atrasada, mas hoje tô tentando colocar os furos em dia. Comecei a ler os posts da última semana e me surpreendi com um deles. Então, vou cara-de-paumente copiar um post do "O amor é uma falácia", porque é uma sabedoria que preciso dividir com todos vocês.
Resume tudo o que penso e mais 90% das coisas que tenho ouvido nos últimos meses.

O dia dos namorados passou e você CONTINUA solteira? Para muitas mulheres solteiras - e até homens, embora a maioria não admita - quando o dia dos namorados passa é sempre como o fim de uma era, ou de um inferno astral ou ainda a virada de um ano novo depois de um ano ruim: a vida recomeça num mundo melhor em que as pessoas - pelo menos até que se aproxime o próximo dia dos namorados - não vão ficar te perguntando cem vezes ao dia: "Por que você não tem namorado?".

Afinal, que tipo de pergunta é essa?! Por que diabos alguém te pede uma razão pra NÃO ter um namorado? Será que só a vida a dois justifica a nossa existência: “tenho namorado, logo existo”?! E se eu não tenho namorado, tenho um tipo de defeito social? YES, todo mundo quer encontrar seu par de vaso e não dá pra negar que estar apaixonado deixa a vida mais colorida, mas isso não significa que não existe vida na solteirice e muito menos que alguém só está solteiro porque não é bom o suficiente.

A humanidade se intriga com o fato de uma mulher ou homem "qualificada(o)" bonita(o), inteligente, simpática(o), bem-humorada(o) e bem-resolvida(o) - não necessariamente com todas essas qualidades ao mesmo tempo - não ter namorado(a). Esse tipo de situação incita uma reação em cadeia: todo mundo começa a se perguntar o que ela(e) tem de errado! E, de repente, é como se ficasse subentendido que ELA(E) TEM ALGUMA COISA DE ERRADO e a gente começa a achar que existe algum tipo de placa na nossa testa, tipo "proibido parar"! E os homens(mulheres) passam a nos encarar assim: ela(e) é bonita(o), é desejável.... e está sozinha(o): deve ter algum problema!

Existem mulheres e homens incríveis reféns de sua própria virtude porque passamos a acreditar que, nesse mundo maluco cheio de cafajestes e afins, não existem mais homens e mulheres tão bons e - se existirem - eles não ficariam por aí dando sopa. Ser um bom partido não é mais suficiente, você tem que provar que é! Acredito que muitas pessoas incríveis estão por aí com medo de serem confundidas com duendes, de tão inacreditáveis que aparentam ser aos olhos dos outros.

Muitas dessas pessoas, inclusive, já se acostumaram com o fato de que não vale à pena serem elas mesmas, porque ninguém vai acreditar: "se fosse tão bom assim, não estaria sozinho". Pode não ser a resposta pra todos os casos, mas, às vezes, você não tem namorado pelo simples fato de que não encontrou "aquele alguém" que vai virar seu mundo de cabeça pra baixo e ainda assim fará parecer que a vida nunca esteve em tão perfeita ordem.

Não precisa necessariamente existir nada de errado em um "bom partido" não ter um namorado, porque eu acredito que as chances são iguais pra todo mundo! Quantas vezes a gente já viu caras machistas e insuportávelmente ciumentos com meninas especiais, ou mulheres loucas, controladoras e mal humoradas com caras absurdamente legais? E quantas pessoas ótimas estão sozinhas?

Encontrar um par requer mais que achar alguém que tenha boas qualidades, seja bonito aos seus olhos, ou inteligente, ou bem humorado. Ok, se você tiver um bom currículo, um número maior de pessoas vai se interessar por você e as suas relações provavelmente serão mais duradouras. Mas, no final das contas, não existe exatamente uma regra quanto a isso e estatísticas não provam muita coisa, porque amor de verdade
é muito mais conjunção estelar que probabilidade numérica versus análise de currículo.


A partir de hoje, vou lembrar sempre desse post quando alguém me perguntar porque eu não tenho uma namorada.

h'[m]

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Um passo a frente, dois atrás

quando parecia que a calma ia ancorar por aqui, uma tempestade revolve as entranhas, cada vez mais estranhas...
Houve uma vez um sonho, pesadelo, aliás. A falha geológica. A fenda. Ao se abrir, trazia a tona a terra antepassada com seus esquifes e raízes, marrons. Um tempo depois, outro: um verde escuro profundo de um mar revolto, com ondas gigantescas. Uma cabine poderia descer para enxergar o que está lá no fundo. Uma colaboração de mulheres da família teceria a teia que construiria este futuro. Sempre a esperança presente mesmo nos piores pesadelos. Mas a realidade parece que escapa. Mais do que colaboração, conflito de gerações. Faltam pontos de apoio. Há armadilhas no caminho. E a mulher asterísco está quase mudando de nome para mulher interrogação. Afinal, existe mais dúvidas do que beijos, aqui... infelizmente.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ressaca /*\

Ter que trabalhar, de ressaca, em dia de jogo do Brasil é para acabar com o humor de qualquer pessoa... e se juntar a isso tudo uma tremenda cólica menstrual...o que dizer?

Do jogo, se salvou apenas o Raul Meireles e o saldo foi um sono incontrolável...

Depois de amaldiçoar até a 10ª geração de antepassados da diretoria da empresa por umas 6 horas, estou aqui com o remédio para dor começando a fazer efeito...
Então resolvi falar com vocês só para me distrair, fazer passar o tempo até pegar o carro na troca de óleo e ir para casa dormir na esperança que role chopinho com alguns amigos no fim da noite...

Algo está começando a se delinear, não tanto por escolha...mas por observação. Não vou encerrar a história com Ele, também não vou alimentá-la...simplesmente vou deixar rolar até morrer de inanição... e vou viver isso até o fim ou até que algo fique maior que isso. E estou reconhecendo algo que pode vir a amadurecer num sentido mais completo. Vai demandar tempo, paciência e muito cuidado para ajudar a cicatrizar antigas feridas e não abrir novas. E eu tenho este tempo. Não tenho pressa. Nem para apressar o fim da atual história, nem o começo da próxima. Acho que o nome desta falta de pressa é amor. Adeus tempos de paixonites imaturas!

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu


Fernando Pessoa

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ter ou não ter alguém?



Estava quase que de férias de mim, ocupada demais com a caçula e sua montanha-russa. Mas o post do Rafa me trouxe de volta ao questionamento sobre mim mesma que tenho tido nos últimos meses.
Tenho uma amiga que assumidamente está à procura de um companheiro. Tenho diversas conhecidas, mais ou menos da mesma idade que eu, que, definitivamente, estão à caça. E usam todo arsenal que Deus, a Cosmética ou o Dinheiro lhe dão para esta empreitada. Eu não. E me dá uma certa agonia ver o desespero escondido no sulco das rugas que a 'foundation' não conseguiu esconder. Não me reconheço nisso, nem quero.
Estou há 4 anos gostando d'Ele. E estou há 4 anos só. Ontem almoçamos fora e sempre me surpreendo o quanto só estar ao lado d´Ele me acalma e me ativa a endorfina... não precisa nem beijar, nem agarrar... não é um amor sexual, apesar de sexualizado. Aliás, nem sei bem o que é. Havia um espaço vago na minha expectativa afetiva e Ele se instalou lá. E não quer sair. Ou, então, não quero deixá-Lo ir. O único porém é que enquanto Ele está aqui, eu fico só.
Mas fui me acostumando a estar só. Tanto que até parece que não existe a pessoa que caberia aqui do meu lado. E quando penso, sei que nem Ele caberia.
Não sei bem nem se há um lugar vago aqui onde não há ninguem.
Sei que estou só, me sinto só, sinto falta de viver e realizar um amor, mas não é, nem de longe, um vazio.
Tenho preguiça de sair com alguns pretês. Até gosto da pessoa ou do sexo ou de ambos, mas acaba sendo uma coisa meio "nada", com técnica, mas sem inspiração. Hoje, o fato é que quase não pago preço algum para ter companhia. O que me parece é que para eu aceitar a companhia de alguém, vai precisar ser algo pelo qual valha a pena o cansaço de dar explicações, aceitar defeitos e etc...
Mas, juro, se eu pudesse escolher, ficaria com o primeiro que aparecesse que não fosse Ele e me assentaria em paz. Calaria a voz que grita dentro de mim pedindo por algo realmente especial. Eu simplesmente apertaria o botão da vaca e só relaxaria e gozaria...
;-)

terça-feira, 22 de junho de 2010

Vuvuzela





segunda-feira, 21 de junho de 2010

2º meddietopebcs

Já que é o assunto da hora e eu sei, por experiência própria, que os demais blogueiros estão doidos para saber o que uns acharam dos outros ...vou falar do Meddietopebcs também:

Após uma semana de cão, com direito a ferver o carro no meio da rua. Após um dia de aventuras dignas da Lobolândia, em que comecei indo para NovaIguaçu às 7:00 da manhã com o velocímetro quebrado fazer uma prova a qual eu esperava terminar em 1:30 min, mas acabei levando 4 horas; Após ter feito mercado, almoço com a caçula e pronto de socorro para pegar um receita de antibiótico para a recorrente sinusite da pequena; Após ter decidido nem ir mais ao meddietopebcs por que ainda tinha que comprar os remédios, combinar aula particular de francês para a caçula, fazer o jantar e ainda estudar com ela para a prova de hoje...um telefonema da Hello às 18:00 dizendo "passei na frente do Cafeína e o Rafa tá lá , estou estacionando o carro" me convenceu a deixar a caçula em casa e dar uma passadinha no Cafeína para ver os vizinhos.
Ao ver a mesa, já reconheci todos...o Lobo, pela altura. Mas não podia imaginar, do jeito que ele se deprecia, o quão bonito ele é, com aquele sorriso tdb. Só aumentou a minha vontade de adotá-lo. Não reconheci o rapaz na outra cabeceira, o Fernando , do Lost und Found Translation ( já tá devidamente adicionado e recomendado). Ele fala como escreve: muito, engraçado, divertido, antenado... dominou a cena com o as nuances e cores que coloca em suas histórias. Engraçado ver alguém falar mais que a Hello (=p)...
Dieguitcho é sempre horsconcours e nosso eterno "precisamos ir mais ao cinema juntos" foi renovado com promessas e juras eternas.
O Rafa é um capítulo a parte. Não sei se todos se sentiram assim com ele, mas eu tenho a nítida impressão que o conheço há anos, tamanha a empatia que ele desperta.
Daniel foi boa surpresa, ainda mais agora que nos sentimos mais próximas dele por causa das histórias que temos acompanhado no blog de um querido vizinho paulista... O Daniel tirou uma foto e nos enviou por e-mail e o Rafa ficou de postar. Mas o mundo é pequeno mesmo. Pelo sobrenome, já deu para ver que eu e Hello tínhamos acabado de fazer um curso com um parente dele...que fez um apresentação sobre...fotografia... (lembram que a Hello fez uma apresentação sobre disturbios do sono? A minha foi sobre a crise grega).
Por falar em fotografia, já que o Rafa não postou e o Braccini duvidou, e eu sou dessas que não fogem de um desafio, aí vai:

Só digo que foi tão rápido que fiquei com gostinho de quero mais. Por isso, proponho que já comecemos a preparar a edição do 2º meddietopebcs mode etílico on.

Beijosssssssssssssssssss

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A falta que nos afeta

Apresentei hoje meu trabalho sobre Distúbios do Sono. Quem me conhece e sabia desse projeto, sabia ou imaginava como essa pessoa que vos fala deveria estar: trêmula, gaga.
Só decidi o assunto na segunda e, desde então, não dormia direito.
Por mais estranho que possa parecer, eu sou uma pessoa absurdamente tímida. Aliás, era. Aliás, eu achava que era. Depois do sucesso da apresentação de hoje, percebi que nada devo temer. Apesar de um começo bem conturbado - agravado pelo furo do vídeo que não quis abrir - consegui me salvar ao longo e tudo correu bem.
Claro que eu não podia não atropelar algumas palavras afinal, se a p´ropria Fátima Bernardes pode se engasgar no JN - ela super se enrolou nesse minuto - por que eu não poderia?

Em todo o caso, tô superfeliz com o resultado, mesmo que alguém tenha se enrolado com a câmera e eu não podendo ver, efetivamente, o resultado. Agradeço à Lua pela ajuda na preparação do trabalho e, mais que isso, pelo incentivo e palavras de conforto. O Mesmo para a o+*.
É isso galere.

É o que temos pra hoje!
h'[m]

terça-feira, 15 de junho de 2010

“A FIFA é o FMI do futebol”

Copa 2010 impõe sofrimento ao povo e a juventude da África do Sul.
13 de junho de 2010

Por Gabriel Mendoza*

A FIFA é o FMI do futebol” Eduardo Galeano.

Entre as exigências da FIFA para a realização da copa do mundo figuram o fim das barreiras protecionistas para os produtos da copa como forma de ampliar o lucro da Federação.

Estádio Green Point

A realização da Copa do Mundo 2010 na África do Sul foi o aprofundamento dos problemas do país. A construção do estádio Green Point representou a destruição de uma das poucas reservas verdes da Cidade do Cabo, além do despejo de milhares de famílias pobres.

Os despejados da Copa já são dezenas de milhares, segundo o bispo Paul Verryn, que abriga cerca de 2000 refugiados. O motivo não é outro senão tomar para as imobiliárias as áreas valorizadas onde essas populações sempre viveram.

Entre os desalojados está uma escola primária de uma favela, na cidade de Nelspruit, que foi transferida para contêineres sem ventilação e nem janelas adequada para dar lugar ao alojamento dos engenheiros e trabalhadores especializados de um consórcio multinacional que ganhou a licitação para construção do estádio. Desde 2006 as crianças estão tendo aula em contêiner.

Blikkiesdorp, campos de concentração gerados pela Copa.


Previa-se que seriam gastos 450 milhões de dólares mas os gastos chegaram à 6 bilhões só em estádios. Mas não com as comunidades necessitadas ou com o povo africano.

Estava previsto a construção de um sistema de transporte via metrô mas só foi construído a linha que liga o aeroporto internacional ao bairro nobre de Pretória, em Joanesburgo, com o qual foram gastos 35 bilhões de rands (moeda local, certa de 4,6 bilhões de dólares).

Segundo nota divulgada pelo Socialist Party of Azania (Partido Socialista da Azânia – nome negro da Africa do Sul) “esse dinheiro poderia resolver todos os problemas de transporte do país”.

A Congresso Nacional Africano, partido que está no governo, junto com a FIFA impuseram a população negra sul-africana um amplo toque de recolher. A FIFA tem soberania, podem controlar toda a circulação no raio de 1 km dos estádios onde acontece a copa. O governo proíbe toda e qualquer manifestação durante a copa.

E ainda se der tudo errado a Federação ainda têm um “pé de meia”, um seguro de 650 millhões de dólares a ser pago para a Federação pelo país anfitrião.

São 50 assassinatos por dia, um estupro a cada 20 segundos, e ao final da copa serão 150 mil operários desempregados.

O governo da CNA simplesmente aceita as imposições da FIFA e aplica um desenvolvimento elitista na contra-mão do atendimento das reivindicações.

*Gabriel Mendoza é diretor de universidades públicas da União Paranaense dos estudantes (UPE) e estudante de geografia da Universidade Estadual de Maringá. Também membro do Conselho Nacional e militante do núcleo de Maringá da Juventude Revolução-IRJ.

sábado, 12 de junho de 2010

Será?

"A vida não é filme, você não entendeu.
Ninguém foi ao seu quarto quando escureceu,
saber o que passava no seu coração,
se o que você fazia era certo ou não."

Quem um dia irá dizer que não existe razão para as coisas feitas pelo coração?
Eduardo amava Mônica e ela amava o Eduardo. Mas ela sufocava na idéia daquela vidinha tão normal. O Eduardo só queria que ela estivesse ali, sempre ao lado dele. Chegou a pedir que fizesse um juramento de só ter um pensamento e que ficasse com ele em seu caminho, mesmo que fosse triste pra ela.
Era pedir demais para uma menina que sonhou fazer floresta do deserto e diamantes de pedaços de vidro. O mundo tocava a campanhia e vício de insistir nessa saudade que ela sentia tudo o que ainda não tinha visto gritava nela. Mônica não queria ancorar, não antes de ter enfrentado as calmarias e os monstros no mar.
Ele dizia "ainda é cedo". Ficaram acordados, imaginando alguma solução para que o egoísmo dela não destruísse seus corações. Passaram meses se preparando para o adeus. Ele merecia o desejo que não morava mais nela. Amava Eduardo, mas queria se apaixonar. Queria o que não tinha.
E ela saiu para ver o mar e as ilusões que ela via na televisão, juntou dinheiro para poder ir viajar, por conta própria, escolheu a solidão.
A verdade é que muito rodou, mas até hoje, não encontrou algum lugar onde o mais forte não consiga escravizar quem não tem chance.
Eduardo e Mônica acabaram se casando com outros. Se separaram. E são muito amigos até hoje.


Mônica sempre quis ir aonde ninguém jamais tivesse ido.
Somente 20 anos depois, ela se deu conta que este lugar é o seu próprio coração.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Em suspenso...

Limpando a minha caixa de gmails chamada "baboseiras", que é para onde vai direto o e-mail das pessoas que mandam mais de 2 correntes, powerpoints e lições de vida por dia, achei o textinho abaixo, atribuido ao Veríssimo.
Aqui, neste blog, eu registro aquilo que monopoliza meu pensamento ao longo do meu dia. É uma forma de libertá-lo para conseguir dar conta de outras tantas tarefas. Se não posto, ou é porque estou conseguindo ser suficientemente prática e eficiente nas tarefas, que não tenho tempo para pensar. Ou porque tem coisas que ainda não podem ser ditas por doerem não só em mim. Neste caso inclui-se grande parte das questões relacionadas à caçula, ou por serem dela mesmo, ou para preservar sua intimidade. Algumas questões, em relação à ela, vazam aqui, mas é quando já foram suficientemente deglutidas ou a postagem é necessária para eu seguir com o meu dia.
Estou me explicando porque? Porque ela pode vir a ler e quero que ela saiba que, ao colocar coisas nossas aqui, não se trata de falta de respeito com ela. Mas, ao contrário, eu não seria honesta comigo e com ela, se o que ocupa a maior parte dos meus pensamentos não fosse registrado de alguma forma aqui. Falei dela e agora volto a falar dEle. Afinal são eles os donos da minha cabeça, e é em relação a eles que mudanças se mostraram necessárias. E foi começando a puxar o fio do novelo, que o nó começou a se desfazer, e, no lugar dele, vuptz, nada. Medo.
Publicar o texto abaixo é uma forma de repetir um Mantra.
Recebi com alegria o post do Robson e quero mesmo isso.
Estou com dificuldades de fechar a minha história com Ele. Porque tudo me acalma no seu olhar, mesmo que não haja sinal de paz. E continuo querendo o abrigo do seu abraço que me incendeia. É um desejo sem fim alimentado pela falta, pela fome. E a verdade é que isso é realmente algo, mas também mereço mais.
Um ponto de inflexão na minha vida com a Caçula foi quando, ao ouvir minhas queixas, uma amiga disse:
- O+*, se mostra para ela, deixa ela te conhecer, ela vai ser tão apaixonada por você como todos que te conhecem!
Passei a entender que a tal da via de mão dupla num relacionamento dá mais trabalho do que eu imaginava, mas está velando a pena: As abóboras estão se ajeitando enquanto o caminhão vai seguindo o seu caminho. ( Nota mental: vigiar a preguiça)
Se esta é a tarefa central desta minha década dela adolescendo, há outras coisas agora que urgem. Esta batucada em meu peito. Medo de mudar a minha forma de ver o amor. Medo de abrir mão dos delírios, dos desejos de conquista e me deixar ser amada. Medo. Muito medo, mesmo. Não sei nem como nem porque. Só sei que quando penso nisso, aceleram-se meus batimentos, suam as minhas mãos e se umedece meu sorriso... Não sei ainda de nada sobre isso, além de que eu olho e ainda não vejo nada.

Então aí vai, minha mensagem de dia dos namorados para mim mesma e para todos aos quais ela se encaixe, apesar de eu achar que não é coisa do Verissimo, aliás, me parece escrito por mulher...

Dar não é fazer amor. Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nunca...
Te chama de nomes que eu não escreveria ...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar...
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado ...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém para querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: “Que CE acha amor?”
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar
Experimente ser amado...

Este é o conselho que a O+* tem para todos os 12 de junho daqui para frente:
- Experimente ser amada, Chris.
Você pode até não gostar muito no início, mas vai acabar se acostumando ;-))

Curtas e Algumas

Pra quem acha que teimosia é defeito: consegui o par de ingressos pro Teatro! #Yeeey. Gávea, aí vamos nós.



Vocês podem estar estranho esse meu novo jeito de postar. Várias e pequenas coisas, mas relaxem. A verdade é que eu penso assim: muita coisa aleatória ao mesmo tempo, tudo sempre correndo. Pra não esquecer de falar nada, a gente põe duas frases sobre cada coisa, e passa pro próximo assunto.
Estou numa fase de tentar ser mais clara e direta. Não sei se tá funcionando, mas ninguém pode negar que, tentando, pelo menos, eu tô.



Ontem reencontrei duas amigas, uma delas - que não via a uns 3 anos - fez o seguinte comentário:
- Você tá mais mulher!
Ok, Ju. Qué me acabá comigo! Ela tava insinuando que fiquei velha ou que eu era um menino, antes? Rimos.
Ela disse que era um elogio, e eu acreditei. Fiquei feliz e continuamos assuntos diversos e aleatórios. Começamos do zero porque, a essa altura, ninguém mais sabe nada de ninguém. Mentira! Só nós duas que não sabíamos nada sobre a outra. Mas entre um "Jura?" e "Mentira!" apareciam alguns "como você ainda lembra disso?", e relembrei o quanto os dias são agradáveis com elas! Apesar do tempo e distância, o silêncio sequer foi convidado pra tomar chá.
Foi bem divertido.



Depois do barzinho com as meninas, fui pro aniversário - a essa altura, não mais - surpresa de um amigo. Entre cervejas, vinhos, violão e brigadeiros, ri até ficar com dor na barriga. É bom poder se sentir a vontade de falar sobre qualquer assunto com os amigos.
Dessa vez, nomes foram preservados e um novo termo criado: palitó. Palitós são aqueles cujo-nomes-não-podem-ser-pronunciado e que, de alguma forma, estavam empatando a foda dos amigos.
Assim como eu estou muito de boa, espero que eles fiquem logo.


E entre e-mail bafão e piadas pesadíssimas, todos sobrevivemos.
E é o que temos pra hoje!

h'[m]

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Enquanto isso, no escritório...

Micos que só a O+* faz você pagar:

Papo de 3 min atrás.

O+*: - A., Te contrato como advogada, aceita?
A.: - Ih, eu não dou pra advogada!
h'[m]: - Eu dou!
O+*: - Há! Não falo nada.
[cri cri cri]

Risada geral.

h'[m]: - Obrigada, O+*!


É o que temos pra hoje!
h'[m]

Longa quinta-feira

If the winner takes it all and I´m not the winner, what can I take?

Sobre boca, trabalho e coisa e tal

Se tem uma coisa que aprendi nesses últimos dois dias é: olhos abertos, ouvidos atentos e boca fechada. Quem come quieto, come duas vezes. Ok! E viva a churrascaria rodízio.



Eu JU-RA-VA que era workaholic até ver cena como a hoje. Annun, que mal pode andar, quando perguntada o que fazia aqui hoje, respondeu:
- Se eu não venho, não faço nada.
Tá, né?



Tô tentando a dias (leia-se ontem) me cadastrar no site da Porto Seguros, só pra tentar ganhar convites pra Peça "Por uma Noite"! Aguei tanto que quase afoguei meu celular.
Depois de catar a apólice da mãe, descobri que pai e irmã também são clientes, o que me deixa com 3 ingressos pra alguns eventos. Agora, virou questão de honra e não penso em outra coisa.
Cheguei no trabalho hoje com uma mensagem da minha mãe:
- Você é F___. Quando cisma com uma coisa, não sossega até conseguir.

Não sossego mesmo mãe. No âmbito diversão, quero os ingressos da Porto. No âmbito profissional, quero o curso de instrutor.



Falando em curso, tô amando a calça que ganhei da própria o+*.
Adoro esse estilo fake serious. Que, aliás, super combina com minha cara de menina séria.
Super me imagino dando curso com esse visual que me deixa uns 10 anos mais velha. E super tô curtindo a idéia.
Pra ter noção, já meio que sei os três looks que vou usar durante o curso!



Bati altos papos com uma (nova) amiga ontem. Disse que tava afim de dar uma sumida e ela me encorajou a dar uma renovada de ares.
Nenhuma novidade no Personare, mas no Globo:
Gêmeos - de 21/05 a 20/06 - regente: Mercúrio
Um encontro daqui, uma conversa de lá, já é o suficiente para criar uma nova amizade. Falar, escutar e trocar idéias, ajuda a ampliar as redes de relacionamento. É tempo de caminhar por aí e ver o que está acontecendo no mundo.

ME-DO.


Sim, é o que temos pra hoje!
h'[m]

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Inspired by Ana

- O+*, como você está linda!.... Adorei seu cabelo...Você emagreceu, né?
- Não! Engordei! E muito! Porque é o que faço longe de você: engordo!

Living la vida Loser

Eu juro que se eu pudesse escolher, seria hetero. Sério. Mulheres, no geral, me irritam de uma forma que nem eu sei explicar.

Quando elas dizem sim, querem dizer: não. Se dizem pode ser, querem dizer: não. Quando elas dizem não, é não, mesmo! Agora, meu filho, pra descobrir o sim, realmente é difícil.
Porque tem o sim que pode ser sim, o talvez que pode ser talvez e o não que pode ser "tô fazendo um charme".
Eu não entendo as mulheres!
Quando eu acho que alguma delas tá afim de mim, ela não tá afim de mim. Mas por que que quando mulher tá afim de alguém, ela faz questão de mostrar que não tá afim? Eu já apostei todo meu patrimônio fááááárias vezes, dizendo que fulano estaria viajando. E, no final das contas, não é que estava certo? Dá pra entender? Não, não dá!

Eu tô com inveja do Paulo com a sua lista Alfa. Se mulher fosse um bicho um pouco menos complicado, daria pra ser bem mais feliz, viu?

Aí depois eu digo que tô me tornando assexuada, e as pessoas riem na minha cara.
Tá. Não é bem assim. Até porque furada em relacionamentos é sinônimo de Fernanda e se eu fosse me interessar por alguém hoje, lógico, tinha que ser roubada. Problema da vez: mulher comprometida. Bingo!

Ninguém tem uma amiguinha legal pra apresentar a uma pessoa simpática, inteligente e agradável, não?

h'[m]

terça-feira, 8 de junho de 2010

Bom dia a la Gaga!

Bom dia pra você que saiu do trabalho as 21:45 e chegou no dia seguinte as 7:15!
Enquanto cumprimentava todo mundo, ouvi:
- Vai sair cedo?
- Não, por que?
- Chegou cedo...
Eu tenho tido problemas com horário, ok? Confesso. Mas tô tentando me redimir!



Acordei meio Lady Gaga, ainda pensando no flash mob de Saquarema. Aliás... Falei pra vocês que fizemos (uma tentativa de) flash mob de Bad Romance? Eu tô louca pra ver o vídeo, mas minha internet em casa tá numa ignorância só!
Aliás, ontem a danidanx (eu adoro pronunciar danidanx! hahaha) me ensinou como consertar. Pena que a essa altura o Allan já estava ausente.
Que grô!



Ahn! Só pra constar: Sabe porquê eu não gosto de chegar cedo?
Porque eu fico meia hora na copa esperando o pão chegar e ainda tomo preta às 8 da manhã. Se fosse uma loira, não teria problema. Mas coca-cola logo cedo acaba com o estômago de qualquer um.
Oito horas chega o pão, tomo coca-cola e olho o blog... Vou trabalhar que horas? Depois das 9! Pronto.


Sim! É o que temos pra hoje!
h'[m]

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Um sonho de 15 anos

video

NADA GREGA

"Alemanha anuncia plano de cortes de 80 bilhões de euros até 2014

Medidas atingirão as pastas de Trabalho e Assuntos Sociais do país.
Objetivo do plano é restabelecer a maior economia europeia."


Cortar para restabelecer? Então a crise é causada pelos trabalhadores e mais pobres?? Mundo estranho...

Curtas e Muitas

Uma vez me pegaram lendo o horóscopo e perguntaram se eu acredito nisso. Eu disse "lógico, o meu sempre bate".
Mas quer saber quando que eu não acredito no horóscopo? Quando ele me diz que tenho que ficar mais 20 dias sem sexo.
Próximooooooo!



Lendo o blog das amigües, não sei porque, me identifiquei com esse post do "O amor é uma falácia":
Sabedoria das amigas XVI:
- Querida, se bater o desespero, lembre-se que a bissexualidade imediatamente dobra suas chances para um encontro no sábado à noite.

Acho que já ouvi isso antes...
#EURI!



A viagem do fim de semana me fez voltar de mala cheia. Além da cólica e do bom humor, grande parte da bagagem ficou por conta do novo vocabulário girilístico. Pra quem reparou no post anterior, já temos um saindo do forno!



Já falei aqui do Peixe Urbano, não?
Peixe Urbano é um grupo de desconto que funciona assim: Eles divulgam uma oferta e se o numero mínimo de pessoas comprarem, a oferta é valida e você retira o seu cupom, se nao atingir o numero mínimo, eles devolvem o dinheiro.
Então... a promoção carioca de hoje é academia pra mulheres por R$ 49,00. Pras empolgadas de plantão, que só frequentam as 4 primeiras semanas e nunca mais dão as caras, tá aí uma boa oportunidade de re-tentar.
Se cadastre aqui e ajude a amigüe!
O link pra promo do dia, tá aqui.

Ps.: A promo citada vale pro RJ. Mas as cidades de São Paulo, Curitiba, Brasilia, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e Recife também participam do esquema. É só conferir o cardápio de cada cidade!



Ok, Allan, você conseguiu! Tô vendo Glee pelo vimeo.
Minha versão favorita continua sendo essa.




É o que temos para hoje!

h'[m]

Blog Solidário


Galëre, assunto sério, hoje. Recebi da minha prima o link de um blog feito pra ajudar um amigo dela, Oliver Kligerman. O Rapaz, de 21 anos, sofre de aplasia da medula e está precisando de doação. Como a probabilidade de se encontrar doador é de 1/100mil, repasso o pedido da família, que solicita o cadastramento por meio da Cruz Vermelha.

Como sei que tem muito blogueiro de outro estado, os candidatos forasteiros também são super válidos e o cadastramento é tão simples quanto. O cadastro local é repassado para um banco nacional. Vale lembrar que com sua doação, caso não ajude diretamente o Oliver, muitos outros poderão ser ajudados.


h'[m]

terça-feira, 1 de junho de 2010

Porque eu não estou blogando nem dando atenção aos amigos blogueiros?


E na minha mesa tem bem mais que isso!!


Mas o que eu queria mesmo fazer era:



Será que não vão me mudar nunca de setor?

Sobre o maldito processo

Quando eu digo que algumas coisas só acontecem comigo, ninguém acredita.
Tô trabalhando num projeto beeeem complexo. Praticamente a menina dos olhos do gerente. Tô eu falando a semana inteira com o usuário, e explicando que os fornecedores estão questionando muito detalhe. Por mais que o usuário seja bem eficiente - absurdamente acima da média, aliás - e as respostas sejam respondidas praticamente no mesmo dia, é complicado fazer layout desse porte com o tempo que ele queria.
Na sexta informei a ele que 2 empresas já tinham declinado. Ontem repassei que mais uma teria se juntado ao time. Ele se manteve firme e falou que não poderia aceitar a prorrogação, que uma determinada empresa seria a única a apresentar proposta.
- Ok, amigo. Fique ciente que então teremos que refazer o processo, porque a lei diz que deve existir 3 propostas válidas.
- Ué, mas eu já fechei um processo com a gerência tal, com a proposta de um fornecedor.

Bom, cada gerência sabe de si. Se eles tão fazendo errado ou certo, cabe a gerência analisar seus procedimento, não eu. Na minha gerência, o procedimento é mínimo três, e assim o tratarei. Mandei pra ele o documento interno que exigia tal condição. Ele não respondeu.
Fui até a sala do gerente pra comunicar.
- Me traga boas notícias.
- Não tenho.

Depois de explicar todo o ocorrido, apresentar o lado do usuário e o meu lado, o gerente pegou o telefone, fez meia dúzias de ligações e exclamou:
- Pode fazer. Obrigado! E o Fulano que vá a merda!
EuRI. Mas ri tão alto que todos no caminho ficaram olhando meio torto.

Bom. O Fulano é maior gatinho, bonzinho e tal. Mas que ele tentou fuder minha vida, tentou! E quando o gerente o mandou ir a merda, foi quase uma satisfação duplamente pessoal.
Resultado: tô mandando bem no projeto, apoiada pelo gerente e, ainda, ganhei 1 semana de "folga". Tem coisa melhor? #noT

h'[m]