segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Temporada das Flores

22 de setembro foi o equinócio da primavera no hemisfério sul.
http://grooveshark.com/#!/album/O+BEIJO+DO+VAMPIRO/6656463

Dia 10 de outubro, eu fiz uma denúncia com muitos anos de atraso. Lei Maria da Penha. Foi uma das coisas mais difíceis que fiz em minha vida. Em parte porque foi muito dificil aceitar que tudo isso tinha acontecido comigo. Não foi um filme, uma estória, foi uma parte grande da minha vida e da minha filha entre ameaças, chantagens e ofensas. O medo - já foi dito antes - é um dos sentimentos mais poderosos. Por ele, as vezes, deixamos de viver o nosso potencial.

Dia 02 de novembro reencontrei amigos queridos com os quais cheguei a ter uma família. Não os via há cerca de 15 anos. Cada dia tem sido uma novidade. Algumas destas amigas estão me contando como eu era. Tive um apagão pessoal. Me falta a memória de muito do que eu era e fazia. Elas são o meu backup. E me amam como se o tempo não tivesse passado.

Onde eu andei? Estava respirando por aparelhos, mantendo as funções vitais e me fortalecendo para conseguir me recuperar e voltar para mim. Não foi perdido este tempo. Aprendi a ter humildade ( nem tanta), aprendi a ceder, aprendi a sofrer e dar a volta por cima. Aprendi a amar, a deixar uma outra vida depender de mim. Cresci. Mas continuava presa.

Hoje, livre do medo, comemoro a vida. Planejo um aniversário daqui há poucas semanas, no meio do povão, roçando coxas. 45 anos. Estou de volta, em primavera, esperando e construindo o verão. O amor que me espere. Estou chegando com fome.


http://grooveshark.com/#!/album/O+BEIJO+DO+VAMPIRO/6656463




Temporada das flores
Que saudade agora me aguardem,
Chegaram as tardes de sol a pino,
Pelas ruas, flores e amigos,
Me encontram vestindo meu melhor sorriso,
Eu passei um tempo andando no escuro,
Procurando não achar as respostas,
Eu era a causa e a saída de tudo,
E eu cavei como um túnel meu caminho de volta.
Me espera amor que estou chegando,
Depois do inverno a vida em cores,
Me espera amor nossa temporada das flores.
Eu te trago um milhão de presentes,
Que eu achava que já tinha perdido,
Mas estavam na mesma gaveta,
Que o calor das pessoas e o amor pela vida...
Me espera estou chegando com fome,
Preparando o campo e a alma pra as flores,
E quando ouvir alguém falar no meu nome,
Eu te juro que pode acreditar nos rumores.
Me espera amor que estou chegando,
Depois do inverno a vida em cores,
Me espera amor nossa temporada das flores.
Me espera amor que estou chegando,
Depois do inverno é a vida em cores,
Me espera amor nossa temporada das flores.
Me espera amor que estou chegando,
Depois do inverno é a vida em cores,
Espera amor nossa temporada das flores.
Me espera amor que estou chegando,
Depois do inverno é a vida em cores,
Espera amor nossa temporada das flores.

(Mulher Asterisco)

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Fogo de palha (ou sobre como é melhor ter parcerias)

Impulsiva pra caramba. Se por configuração do céu ou alguma outra obra do acaso, não sei dizer, mas o caso é que adoro novidades. Sou capaz de me jogar de cabeça, completamente apaixonada em diversos projetos, mas tenho uma imensa dificuldade de manter este entusiasmo, a motivação e a constância depois de algumas semanas. Se exigir disciplina e paciência então, a possibilidade de eu ir deixando de lado a nova idéia é quase 100%. Ao longo dos tempos, acabei aprendendo que o único antidoto que funciona contra a minha vontade de desistir é ter sócios, parceiros, companheiros e camaradas. Partilhar planos os tornam duradouros, fornecendo combustíveis de longo prazo.

Nem sempre consigo administrar minha vida social satisfatóriamente. Os últimos 16 anos foram tempos de retração entremeados com alguns episódios de ser o que sou, mais ou menos duradouros. As vezes, por algum mecanismo ainda indecifravel de defesa, acabo me afastando das pessoas e adotando um estilo - completamente insatisfatório - lobo solitário de ser.

Isso acontece aqui também. Mesmo sendo alguém irritante e que escreve posts desordenados, com títulos longos, bagunçando qualquer tentativa de arrumar a casa... prefiro ver minha parceira de saco cheio comigo do que longe. E nem adianta deixar eu sozinha para eu fazer o que quiser sem stress...Não tem graça. Então, nem tenha a esperança de eu retribuir a gentileza e deixar o blog só para a Hellomotta. Se tem gente em casa, eu apareço mais vezes, porque o que eu gosto mesmo é de casa cheia. Sozinha, eu nem estaria mais aqui...

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Ponte Aérea


Mês passado eu consegui a chance de participar de uma comissão que eu super queria. Não possui vantagem financeira, mas acho que é uma puta chance de ampliar meu conhecimento na carreira e, principalmente, ganhar um pouco de visibilidade.
Quem me conhece sabe que eu sou Petroaholic total. Sonho em seguir aquela carreira bucólica de supervisão, coordenação, gerência, diretoria e, quem sabe, presidência. A maioria dos meus colegas não tem. Mas eu tenho. Não sei porquê, mas eu sempre convivi bem com essas relações de poder. Provavelmente é meu lado geminiano dando ar de existência. hehehe

Claro que ainda estou longe de qualquer reconhecimento considerável, mas, últimamente, me vejo muito feliz com cada nova conquista, mesmo tento que trabalhar em jornadas duplas, sábados, domingos ou feriados.

O primeiro bônus começa daqui a duas semanas: viagem a trabalho. Dia 26/11 vou pra São Paulo. Para os amigos paulistas de plantão: call me maybe!
Fora do horário de expediente, "Sao Paolo is mine"! Tenho 3 noites para aproveitar as delícias da cidade da garoa. Restaurantes, Teatros e, claro, compras (porque ninguém é de ferro!).

Ai que feliz!
Nenhuma cidade brasileira desperta tanto o meu lado consumista quanto SP. "Olá, Cartão de Crédito! Prepare-se pois eu vou lhe usar!"

Volta pra Terra, Fernanda!
Sonho e consumo de lado. Vamos voltar ao foco: trabalho. Porque ralação a gente vê por aqui!



Ahhh! Eu não poderia deixar de comentar: a despeitada da minha ex colocou silicone. (Rá Rá Rá)



Sem mais.
h'[m]

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Retorno, de novo!

Esse final de semana me prometi voltar a escrever. Não porque tenha alguma coisa a acrescentar, ou porquê tenha pessoas pra alfinetar. Mas sim porque recebi um puta elogio - no trabalho - sobre a facilidade que tenho de combinar palavras no papel, me fazendo lembrar o quanto escrever me conforta.
Na verdade, acho que não quero explicar o porquê decidi voltar, mas sim, simplesmente voltar. Exatos 111 dias depois do meu último post, muita coisa aconteceu.

Ainda não encontrei minha nova cara-metade. Ainda me pego sofrendo o término do meu último relacionamento. Ainda tenho o mesmo emprego, os mesmos amigos (que bom!).

MAS... consegui me desfazer de 16 indesejados kilos com muito esforço (talvez pelo fato de que jantar em casa nunca teve o mesmo gosto), reaprendi a fazer mais coisas por mim (talvez pelo fato de ter estado um pouco mais só), percebi que pessoas ainda caem aos meus pés com maior facilidade do que eu costumo acreditar (talvez até mesmo pelo fato de ter passado a cuidar mais de mim) e estou sendo bastante reconhecida no trabalho, tendo a chance de participar de vários projetos legais ( talvez pelo fato de ter voltado a focar no trabalho).

Miami Beach at Collins
Foquei minha dor em viagens, esportes, amigos e cultura. Conheci a noite gay de Mendoza, fiz trilha no Aconcágua, compras em NY e mergulho em Miami.Voltei a jogar Tenis e à academia, comecei a fazer corrida de rua e tomei gosto. Fui a mais de 30 festas, comemorações, encontros e reencontros. Já li "O prisioneiro do Céu", "50 tons de Cinza", "Viagens", comecei a ler "Um dia" e "50 tons mais escuros", mas parei para ler "A Sombra do Vento".

Já vi aquela que penso ser amor por algumas vezes. Em algumas demonstrei afeto. Em outras fiz a linha amiga, mas, como nada disso funcionou, agora, apenas consigo demonstrar indiferença.

E assim se passaram seis meses. Não sei se consegui - nem se quero - resumir esses últimos. Com o tempo as coisas se ajeitam.
Enquanto isso, vou me reacostumando com essa casa antiga. Sacodindo as almofadas e tirndo um pouco da poeira. Passando uma água nos lençois e no chão da sala.
Mas primeiro eu vou descansar, jogar os pés no sofá e decidir: "por onde começar?"


;]
h'[m]

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Go younger