terça-feira, 11 de junho de 2013

a boa filha

Querido diário é o cacete! A frase épica para o post de hoje é: "I'm Back".


Muitos pensaram que eu não voltaria. Eu pensava que não voltaria. Até os médicos pensavam que eu não voltaria. Mas isso já é outra história.

Seis meses já se passaram desde o meu último texto postado aqui. Tanta coisa aconteceu, tanta... que de quase morte, veio muita vida.
Pra vocês não se sentirem tão estranhos, vou resumir em três pequenas fases: Novembro a Janeiro foi a fase hard-working. Trabalhei e apanhei muito por aqui. E, olha, que pra eu falar que foi muito, é porque foi muito mesmo.

O final de Janeiro foi o mês do medo. Tive uma pancreatite extremamente grave. Mesmo, também. Passei 20 dias no CTI testando minha popularidade e minha queridice. No céu e na terra. A Lição da vida veio em meados de Feveiro. E essa fase de queda-recuperação durou até meados de Abril.

E Maio, assim como em 1984, foi o mês do meu nascimento. Mais que isso: renascimento. Foi quando aprendi o valor de pequenas coisas. Que ser querido não significa ser importante. E que a máxima "dê valor a quem te dá valor" é algo que temos que seguir dia a dia. Maio veio para iniciar a fase de superação!

Não lembro de nada extremamente relevante por agora, mas o importante é que a passagem pelo percurso hard-working, queda-recuperação e superação, foram bastante relevantes para mim. Como todo mundo que passa por algum trauma, a vida começa agora.
Então, queridos amigos, bem vindos a minha nova vida!

;*
h'[m]

3 comentários:

Edu ardo disse...

Oba! Presente, professora!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

querida nós te amamos e te damos um puta valor ...

beijão

O+* disse...

Ainda bem que à casa retornaste, isto aqui tem graça nenhuma sem você <3