sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O reflexo do workaholicismo

Eu não podia me dar o privilégio de postar hoje, vide a quantidade de processos que estão na minha mesa (ainda estão no armário, mas já já estarão na mesa!).
A questão é que enquanto eu super me desgasto com meu trabalho, e outras pessoas passam o dia falando merda, ligando pra parente e jogando joguinho no celular.

Eu não sei se já postei aqui mas 3 meses atrás dei uma reportagem sobre ser workaholic. A única coisa que mudou nesses 3 meses é que, graças a primeira dama, consigo dormir cerca de 5 horas por dia. Mas o lance de acordar direto no meio da noite, não dar atenção pra família e até pra mim mesma, continua.
Uma das coisas que mais gosto de fazer que é escrever, não consigo mais. Não consigo tempo para escrever, nem um minimo de concentração para fazer. Cerca de 5 milhões de pensamentos se passam na minha cabeça a cada hora, e o volume e velocidade é tão grande que ao escrever a primeira frase já me pego pensando na final.

Ontem cheguei as 8:26, saí as 21:43 e as 8:45 de hoje já estava aqui de novo. Deu pra entender? Eu passo mais tempo aqui dentro, do que no mundo lá fora. Pra que isso?
O que eu faço contrasta com o que eu escrevo.
Eu concorco plenamente com o que eu escrevi ontem: se divertir hoje, agora. Mesmo assim tô puto.
Tô puto com o post de ontem porque, hoje, eu tô vendo que a minha vida tem mais a ver com trabalho do que o mundo. E eu já sei disso. Só não consigo aceitar.

Seria isso uma doença?
Eu preciso de uma terapia?
E se for doença, eu tenho cura?

E agora, quem poderá me defender?

Ps.: Obrigada O+ por sair deixando sua parte do armário livre. Meus processos já estão ocupando-a.

h'[m]

13 comentários:

Rodrigo disse...

aim, super te entendo.


bom finde

Mulher Asterísco disse...

Divista-se com o armário, então!

Mulher Asterísco disse...

*divirta-se*

Visão disse...

Eu já passei por isso. tanto tempo dedicado ao trabalho que nada sobrava para mim. E eu me acostumei e já achava normal. Minha solução? Pedi demissão.
Só você pode se defender.

Júlio César Vanelis disse...

Não, Terapia só vai piorar a sua situação... Vc vai gastar dinheiro ( e dinheiro é tempo) além de tempo mesmo indo a um terapeuta... Tente fazer um exercício, concentre-se em esvaziar a sua cabeça do seu trabalho, das suas preocupações, um pouco de música pode ajudar... Tire algumas horas, mesmo que sejam breves momentos, para nãp pensar em nada... Isso costuma ser bem relaxante... rs

Um abraço, até o próximo...

Lobo disse...

Hello, eu já sofro do contrario: tenho workfobia ahauahauahu

Mas sei lá. A gente tem que fazer o que faz a gente bem. Tem gente que vê no trabalho uma forma de lazer, sei lá... pode ser o seu caso? XD

Terapia já!

Eu também concordo que os defeitos são os maiores charmes que as pessoas tem... mas quase ninguém pensa dessa forma, e ainda acham que somos debochados quando dizemos que gostamos deles (dos defeitos)...

Um beijo hello!

Gui disse...

Discordo do Júlio, terapia ajuda muito mais do que parece. Se você estiver realmente disposta a mudar.

Acho mais válido você se perguntar o que exatamente você está querendo esquecer - ou substituir - trabalhando tanto.

A menos que seja uma coisa de fundo puramente pecuniário (o que eu duvido, pelo seu próprio texto).

beijos

Pimenta disse...

Se vira linda, acha o meio ponto!
Você merece, que nem aquela musica do baleiro:
Mamãe eu quero sucesso, dinheiro mulher e champanhe, mamãe seu filho merece, Demi Moore more money!

S.A.M disse...

Férias pra voce minha filha!

Beijao

Paulo Braccini disse...

São fases querida, só fases ... o q importa é nos libertarmos destas fases cíclicas o qto antes ... perdemos muito de nosso precioso tempo com estas merdas ... agora, próximo dos 60 radicalizei mesmo ... só penso em mim, no q eu quero, no q eu gosto, no q eu penso, enfim ... nada de uma postura egoísta ... mas é q - antes tarde do q nunca - esta percepção chegou e tenho q dedicar um pouco de minha vida a mim mesmo ... o resto??? bem o resto PHODA-SE!

BJUX

;-)

Autor disse...

Eu deveria mesmo ter teu telefone pra ter te ligado quando estava no aeroporto pra te arrancar do trabalho e fazer vc rir, afinal, eu sou desses, né?
Rá!

Rafa disse...

Não posso te ajudar... não sou NADA assim. trabalho pra mim é uma coisa que paga as contas, só. E mesmo aquele que gosto, mais relacionado ao que estudo na facul, não substitui a vida lá fora. Sorte aí! Bj

Diego disse...

Eu vou discordar do Gui. Acho precário efetuar um diagnóstico tendo só a informação que a Hello passou, "Eu passo mais tempo aqui dentro, do que no mundo lá fora". Pode não ser nenhuma fuga. Pode ser apenas um chefe sobrecarregando sua subordinada.

Se for esse o caso, não dá para ir lá e conversar? Esses processos não podem ser melhor distrubuídos? Você está se concentrando direitinho quando se debruça sobre eles?