quinta-feira, 27 de maio de 2010

E os bonzinhos, pra variar...

Um usuário me ligou a uns minutos atrás pedindo informação de um processo. Fuxico daqui, fuxico dali. Informo o prazo de entrega. Ele me questiona.
Ok. Pedi as informações do processo pra pegar mais informações. Quantos digitos!
- 3 milhões? É sério?
- Tá achando caro?
- Tô!
- Se você ver o tamanho do projeto, você acha barato.

A essa altura, eu já tinha visto que o pedido não era meu, sequer era da minha gerência. O normal seria eu avisá-lo que o responsável pela compra era fulano e repassar a ligação mas, conhecendo a outra gerência do jeito que conheço, pensei: "deixa eu ajudá-lo, que lá ele não vai conseguir é nada!"
Ok. Peguei todas as informações que eu precisaria pra dar uma apertada no fornecedor e liguei.
- Oi, aqui é fulana de tal, queria conversar sobre um pedido.
- Oi, fulana, me passa o número, por favor.
- 1234554321!
- Quem tá falando?
- Fulana!
- Fulana da onde?
- Daqui!
- O que você quer saber?
- Bom, eu tenho informação do prazo de entrega pro dia 01/10/2010, e o usuário queria saber a possibilidade de adiantamento.
- Você fala de onde mesmo?
- Daqui.
- Você conhece a Beltrana?
- Não.
- E o Cicrano?
- Também não.
- Bom, então você procura a Beltrada, Daí, e fala com ela. Bla bla bla bla.



Bom, o papo foi um pouco mais longo e mais grosso que isso. Mas depois eu entendi. Trata-se de um projeto de inovação tecnológica, quase ultra-secreto.
Mando um e-mail bem sucinto e explicando ao usuário deixando claro o quão maltratada fui.
Mas aí depois o usuário me liga e diz:

- Ah! É que eu tava estranhando, a gente tinha combinado outro dia um ouro prazo e não era esse. he! he! he!

Ok. E por que mesmo que você não me avisou?
Pra eu levar patadas gratis e me sentir o cocô-do-cavalo-do-bandido pra uma determinada empresa.


Notação mental: Lembrar que quebrar o galho de alguém pode me fazer quebrar a própria cara.
Por que tão Loser, me diz?

/me bufando!

h'[m]

4 comentários:

Mulher Asterísco disse...

=X

AD disse...

Se é uma coisa que aprendi em trabalho é que fazer mais nem sempre ajuda, só atrapalha. E o pior, vc carrega o erro sem nem mesmo ter participado de tudo.

S.A.M disse...

Por isso que deixei de ser mais católico nesses assuntos. Quantas vezes ja fui todo bonzinho pra ajudar e só me fudi.

rs

Beijao!

Paulo Braccini disse...

é de bufar mesmo ... aprendi a ser muito mauzinho nestes contextos ... enfim ... não bufo mais ...

bjux

;-)