sexta-feira, 21 de maio de 2010

Síndrome de Jay Vaquer

Sou de gêmeos. Sou dois extremos. E se música é vida, vamos tocá-la no maior decibel.
Chris diz que eu repito as músicas. Mas quem não repete os vícios? Se o trident de Tangenina Mix é sensacional, porque eu não posso mascá-lo, repetidamente, até enjoar?

Sou impulsiva, sou extremista. Ou não. Extremista não-fanática. De querer ao extremo, de querer sempre muito, sempre tudo. Como dizia o Chaves: "prefiro morrer do que perder a vida". Vida que se perde, tempo que se passa. Tempo não volta, acredite! Não no efeito borboleta.
Meu sentimento de "manteiga voadora effect" me permite apenas relembrar. E se a lembrança traz o gosto e o gosto traz a lembrança, por que não ler, reler, ouvir e reouvir?


Ouço as mesmas músicas, o+*, porque sou loser. Ouço as músicas que me lembram algo, alguém. E não preciso nem dizem quem.
Sim o Jay Vaquer grita, mas grita o grito que me trava a garganta. E se cantar com ele alivia a tensão, limpa os poros e até o rosto fica mais suave, por que não repetir até tirar todo esse acúmulo de coisas pesadas e mortas?
Pra você entender o porquê o escolhido do momento foi o Jay Vaquer, vou tentar explicar como meu raciocínio se desenvolve:


Quando ouço "Insisto, resisto, invisto no jogo sem cartas na mesa, certeza: nenhuma!", lembro o quanto você me diz que isso é chato, que sou pegajosa. "Perfeito. Bom proveito! Escolha o meu defeito e me dê!".
Eu me pergunto, me questiono! No fundo "eu acho tudo tão claro pra qualquer um. Eu sei que me custa caro pensar demais".
Te conto que mais uma vez "eu perco o sono lembrando cada gesto (...), qualquer bandeira". Procuro sinais. Você me mostra coisas que eu não conseguia ver! O que "ninguém explicava e eu ficava sem entender".

Tenta me explicar que não existe sinal. Que tudo não passa de um jogo de gato e rato. Que eu devo "fingir que tá tudo certo, que a minha vida continua da mesma maneira", mas tudo que eu penso é "que o jogo é jogado, deixa de lado o resultado", que nesse jogo de ganha-ganha, todo mundo sai perdendo. Eu finjo que aceito, finjo que entendo. "Sem alarde me recolho, escolho me calar".

"Eu não sei viver triste, sozinha, é a minha condição". Como você mesma diz: "você, madre teresa, uma bondade só!" Mas no final das contas, de que adiantou tanta justiça, tanta lealdade? A gente descobre que mesmo "quem com o ferro não fere, será ferido também!"

E aí é hora de reiniciar o playlist, porque meu raciocínio porque eu até entendo, mas "insisto, resisto, invisto" e o jogo vai sempre continuar.


Ps.: Ainda bem que você não tá aqui hoje pra reclamar da gritaria do Jay!

Trechos retirados das músicas: Nera, Idade se eu quiser, Na próxima vez, Preciso dizer que te amo, Quando fui Fred Asteire, Aquela música, A miragem, A falta que a falta faz, Condição, Mondo muderno, Você não me conhece e Nera.

Preciso nem dizer que essa música não tá aqui no post, mas que é a que eu mais gostaria de poder ouvir um dia, né?

12 comentários:

Renato Orlandi disse...

HAUshausha, eu tb adooooro ouvir sempre as mesmas musicas, e aproveito como se fosse a primeira veeez!!!

EFS*** disse...

Gosto demais de música... ás vezes ouço as mesmas músicas repedidamente, incansávelmente, loucamente por vários dias... mas dpeois apago tudo od mp e coloco novas... mas sempre tem aquelas que parece nos fazer melhor... ai repito tudo outra vez...

Mulher Asterísco disse...

Não to acreditando!!
Eu saio do ponto laranja por dois dias para vir fazer um curso de relações interpessoais e até aqui a Hello me persegue com seu playlist reduzido,aff. Que falta de sossego!!
Ok, Hello, escute as musicas até enjoar ou até quando os outros que dividem a sala com vc enjoarem ...o que acontecer primeiro. Não parece justo???

hauhauhaua

Mulher Asterísco disse...

p.s.

Deixei meu carro aí pq queria voltar depois das 17 para adiantar as coisas, mas agora não sei como volto pra aí daqui da UP. Comofas?

Help me

hellomotta disse...

assimAtravessa a rua e pega o 485!
"hellooooo! simple like this!"

My disse...

2 VOTOS!! Putz Faço tudo isso tbm.. que merda né!? E de que adianta? nada! só aumenta minha angustia, ansiedade e saudade! =/ Mas a música em minha vida tem a mesma importancia que o ar que respiro, então sigo cantando! rss
vlw motta bjuxx

Visão disse...

Eu amo música e sempre ouvi de tudo. Consigo ver a minha vida em alguma letra e canção qeu é tocada em qualquer lugar. Posso está me atualziando sempre, mas volta e meia sempre acabo ouvindo as que mais deixam marcas, ou as que tem uma parte de mim.
Adore.
Bjs

Pepe444 disse...

Otimo seu blog
Veja o meu blog e siga :D >> http://artmusicblog.blogspot.com/

Lobo Cinzento disse...

Hahaha, eu ouço a mesma música até eu mesmo enjoar delas, e olha que isso leva tempo!

Mas depois, não consigo nem chegar perto! Terapia de desapego rules!

Beijos Hello!

Bleffe disse...

Participe da campanha "Música em troca de Fraldas", que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

Música em troca de Fraldas



AMANHÃ tem Show do #Riounido, que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

#RioUnido

Well Bernard disse...

Tem dia que eu acordo assim recitando músicas. É digno. Mas diga, você tem LastFm? Se tiver me adiciona. Plixxxx

Renato Hemesath disse...

Esta tendência a repetir de certo modo nos identifica! como livrar-se dela? não dá. :)