terça-feira, 30 de março de 2010

Blog terapeutico

Basta eu fazer um beicinho aqui que ganho uma abraço coletivo, um convite para dançar, uma roupitcha nova, alguma menção em outros blogs... Se eu soubesse que era tão bom, eu tinha começado antes a frequentar a blogsfera.
Assim, aos poucos, num ambiente acolhedor, tenho tido coragem de abrir as persianas, deixando mais a mostra dos vizinhos o que se passa aqui. Poder sistematizar estas coisas por escrito tem função terapeutica, mas não estou contando só com isso para 'get by'.
Estou vivendo um momento importante da minha vida. Só para situar, em algum momento eu me perdi de mim e me permiti viver um casamento devastador que, felizmente, acabou, mas deixou feridas na alma (e no corpo).
Em busca da superação, estou mobilizando todas as minhas forças para desenrolar alguns nós que tem atrasado o meu lado frente a vida. E peço ajuda, sem cerimônias: Estou em psicanálise; Já fiz tratamento com terapia cognitiva e remédios para parar de fumar e ainda estou frequentando às reuniões dos vigilantes dos peso; Comecei na Ioga e estou realinhando meus chacras para permitir que a energia flua sem obstruções. Isso tudo, além do blog, e da catarse literária que propicia.
É um mix de teorias da mente que aplico ao mesmo tempo. O engraçado é que tenho as minhas opiniões sobre elas. Não vou entrar neste assunto hoje porque a questão deste post é dizer que toda esta força- tarefa- multiteorica está mobilizada e em ação.
Os resultados existem. Posso dizer que faz 5 meses que parei de fumar. Posso dizer que comida ou a falta dela já não me deixa ansiosa. Posso dizer que estou parando de me sabotar em relação ao meu corpo e meu trabalho... nem tudo é definitivo, mas já coloquei as engrenagens para rodar.
Isso tudo só para dizer que estou buscando, de verdade, minha saúde, de corpo e alma.
Por isso, não sei definir muito bem a impressão que me causa ter acordado hoje com raiva. Não gosto disso. Ter raiva de quem eu amo... Talvez tenha sido a sessão de ontem e o que vi nela.
Se é isso, acho que o jeito é conseguir olhar para esta raiva sem fugir dela.
É tenso.

8 comentários:

hellomotta disse...

Tá com raiva por ter acordado com raiva?

No fundo, todo mundo tem o direito de sentir raiva, só não tem o direito de ser cruel. No seu caso, de ser cruel com você mesma!
;*

Lobo Cinzento disse...

Ih, também o+*?

Exercício de catarse! Canta comigo!

"Dor extrema é o que eles precisam sentir pelo resto de suas vidas..."

Opa, está com raiva de você mesma? Então não canta isso não! ahauahauahau

Gato de Cheshire disse...

Esse processo de resgate de si mesmo é sempre muito penoso, uma sensação amarga de estar buscando o lugar onde na verdade vc acredita nunca dever ter saído. Como se tivéssemos de nos esforçar-mos absurdamente em prol daquilo que achamos mínimo, basal...

Mas que bom que tah tendo êxito e no que depender de nós (e falo em nome dos seus leitores sem a mínima cerimônia), o que não vai faltar é colo pra ajudar a enfrentar o vendaval.

Edu disse...

Até onde posso acompanhar, você tá tendo um sucesso absurdo no seu auto-resgate e na conquista de novos amigos (e colos)! Tem dias que a gente acorda "punk" mesmo, mas o importante é respirar fundo e perceber que nada é tão grave assim neste mundão.

Edu disse...

P.S.: Que musiquinha bonitinha tava tocando no bloguinho...

Guará Matos disse...

Esta se descobrindo. É justo que aconteça de tudo. E quando você ter a plena certeza, ainda terá muitas dúvidas e os erros virão com mais força.
Se divirta e encare como normalidade. Eu também vivo isso e mais umas tantas.
Bjs.

Paulo Braccini disse...

este seu resgate é fantástico mesmo ... admiro as pessoas que reorientam suas vidas com esta garra e perseverança ... parabéns querida ... agora, acordar com raiva o que tem de mais nisto ... eim? faz parte querida ... faz parte mesmo ... e estes momentos também servem de mais estímulo ainda para nossas mudanças ... cante com o Lobo a musiquinha dele ...vale a pena ... alivia ...

bjux

;-)

AD disse...

Eu sempre brigava com o psicólogo quando chegava em casa. Como ele não estava presente, remoia remoia até o próximo encontro poder dizer tudo.

E o blog é terapêutico sim. O problema é eu ficar com raiva do meu e explodi-lo, da mesma forma que risquei o psi. E a probabilidade é alta.

Pelo seu relato, acredito não estar passando por isso. Menos mal.