quarta-feira, 3 de março de 2010

Encontros e Despedidas

Despedidas. Definitivamente, não gosto.
Chegamos aqui a cerca de 1939 dias. Desde o primeiro foi assim, juntas. Eu 1, ela 2. Não pudemos escolher mas, se pudéssemos, escolheríamos o mesmo lugar: Aqui. E, sem escolher, aqui caímos. Eu, a primeira, ela, a segunda. Por anos foi assim.

Fomos escolhidas por quem deveríamos ser. Caímos em áreas diferentes. Ela passou a ser antecessora a mim.
Aqui no blog ela fez história. Conversas ilusionistas sobre a formação da vida e do caráter. Da atitude machista, por ela, da feminista, por mim.
Pensamos diferente. Sim, pensamos. Mas sempre soubessemos retalhar o bom do ruim, o certo do errado. De certa forma, nos completávamos. Pessoal e profissionalmente. Ela me puxava as orelhas por não dar valor a faculdade. Eu lhe puxava as orelhar por não dar valor a si.
Nossa inteligência nos ligava. Era lógico que nos admirávamos pela lógica. Ela sempre foi inteligente do tipo nerd. Eu, do tipo largado. Nossa diferença tá aí: eu, descuidada, ela, sistemática.
Sistemática no exagero, confesso. Do tipo que praticava visivelmente a auto-punição. Enquanto eu era a draga, ela era, na minha cabeça, a anoréxica. Eu controlava sem parecer controlar. Instigava seu gosto pela comida, saudável ou não. Outback, Joe & Leo's, churrascaria e cafés da manhã.

Conhecemos a história uma da outra. As famílias se conheciam e tinham respeito e fascinação pela amizade.
Contei meu maior segredo. Na época era meu maior segredo. Ela entendeu, aceitou e respeitou, como deveria ser. Fazíamos piadas de nossas desgraças. Tudo o que reforço com a Chris sobre nosso salário, eu já havia discutido com ela alguma vez. Não é um salário justo. Não dá pra viver com esse salário.
Eu chorei algumas vezes, ela consolou. Ela chorou outras vezes, eu chorei junto. E assim foram esses 5 anos de convivência.

De um tempo pra cá, nossas rotinas mudaram. O sagrado horário de almoço dela, as 11h, virou meu sagrado horário de academia. E assim, começamos a nos perder. Não sei exatamente quando, mas lamento. Sinto saudade do tempo de conversas no lago e picolés depois do almoço.
Nossas companhia de almoço mudaram. Nos desentendemos algumas vezes depois, por causa do trabalho.
De sua vida pessoal pouco sei. Da minha, não sei o que sabe. Descobri anteontem que ela não tinha meus telefones novos. O dela, que nunca mudou, ainda sei de cór. Mas eu mudo de telefone como mudo de humor. E minha memória é excepcionalmente boa com números. A dela, com teoremas.

Hoje é seu almoço de despedida e meu estômago já está embrulhado. Ela vai comigo, quer conhecer o Lobo Mau. Tantos planos fizemos pensando nele. Tanto escolhemos e pesquisamos sobre os sonhos. Agora, o meu sonho é realidade e sei que ela se realiza da mesma forma: crescendo comigo. Meus olhos, com bolsões d'água, têm de secar em menos de 30 min. Ela cresceu e ficou maior que isso. Meu mundo ficou pequeno pra ela, e chegou a hora de ela sair para explorar. Eu, nada posso fazer a não ser lhe desejar boa sorte, demonstrar meu orgulho e admiração.

E, se a 5 anos atrás, Uma era Outra e Outra era uma. Já me sinto vazia sem minha outra metade. Minha metade amiga. Minha metade Natalia.
Obrigada, e boa sorte! =)
h'[m]

10 comentários:

Mulher Asterísco disse...

Eu estou com muita fome e vou com vocês no Lobo Mau! Vou estreiá-lo hoje!!!OBA!!!

E eu acho que vc pode transformar este momento crítico numa oportunidade de construir esta amizade para muito além do hábito, fazendo dela uma escolha.

PARA A NATÁLIA, OS MEUS PARABÉNS E A MINHA ADMIRAÇÃO POR NÃO FICAR ANCORADA POR AQUI: DESEJO SUCESSO E DINHEIRO PARA PODER COMPRAR O SEU APARTAMENTO!

BEIJO PARA AS DUAS

Guará Matos disse...

Encontro e desencontros
E lá na frente um novo encontro
Que encanto, ter um canto
Pra morar, sorrir
E até no pranto.

Um lobo
A menina
Floresta de pedra
Cair, levantar
E outra queda.

Seguir em frente.

Bjs.

Edu disse...

Copy/paste do comentário da Mamãe *! E ai que vontade de comer esse tal Lobo Mau... Será que foi pensando nisso que o Bichinho (Mau-ricio) entrou no bate-papo como Lobo Sedutor? Hmmmm...

Paulo Braccini disse...

Construir uma amizade para além do hábito, fazendo dela uma escolha ... depois disto o que mais tenho a dizer ... bjux e um futuro novo e promissor às duas ...

huuuuuummm tb queria conhecer este Lobo Mau ... adoro Lobos ... qdo são maus então ... hummmmmmmmm

;-)

hellomotta disse...

Porra! Quero nem pensar nisso!
¬¬

AD disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AD disse...

Hello, removi o comentário para vc nem pensar mais nisso. E que venha o próximo post.

Abs.

Lobo Cinzento disse...

Gente, quanto Lobo nesses comentários! E nenhum deles sou eu! Tô até perdido aahuahauahau

Mas enfim, uma das maiores provas de que se importa com alguém é quando você vê que ela tem uma oportunidade de crescer em outras terras, e você fica feliz por ela invés de acionar a possessão.

Duas metades de um todo, podem até ser separadas. Mas se juntarem novamente, elas continuam se completando.

Beijos Hello.

HSLO disse...

É tao triste despedidas...


abraços


Hugo

Wans disse...

Despedidas nem sempre são para sempre. Felizmente vieram ser coisas boas e pra vcs, novas conquistas.

Fique bem...